Repositório Comum volta a destacar-se no Ranking Web of Repositories

Rankig_Web_2015

Na divulgação semestral de julho de 2014 do Ranking Web of Repositories, à semelhança do que aconteceu em janeiro do mesmo ano, o Repositório Comum, serviço derivado do SARI (Serviço de Alojamento de Repositórios Institucionais) volta a destacar-se, ocupando a 66ª posição a nível mundial na categoria de portais.

A adesão ao Repositório Comum é gratuita e realizada pela Instituição, podendo constituir-se como uma base futura de um repositório próprio, como é o caso dos repositórios do Hospital de Braga e do Instituto Politécnico de Beja.

Neste momento, só do Repositório Comum, o portal RCAAP agrega 5140 documentos, depositados por 39 Instituições,  98,21% dos quais encontram-se em Acesso Aberto, sendo os artigos a liderar a tabela no tipo de documento com 38,61%. Já o português é o idioma em que se regista mais depósitos, com 79,60%.

Durante o ano de 2014 aderiram a este serviço 9 novas Instituições, prevendo-se para 2015 um crescente aumento decorrente da obrigatoriedade de depósito de uma cópia digital num repositório integrante da rede de Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal, tal como previsto no Decreto-lei nº 115/2013.

Para mais informações consulte as condições de funcionamento do Repositório Comum ou pergunte-nos usando o correio electrónico: comum@rcaap.pt.

Repositório Comum com website renovado

O Repositório Comum é um dos serviços disponibilizados pelo projeto RCAAP que mais tem crescido, ao nível de consultas e de downlodas, desde que foi criado em 2009. Presentemente conta com 4730 documentos agregados no portal RCAAP de 38 instituições aderentes.

Repositório_Comum_Página_principal_renovadaDestina-se aos investigadores afiliados em instituições do sistema científico nacional (designadamente, centros de investigação públicos ou privados, universidades, institutos politécnicos) que não possuam repositório institucional próprio. Através do Repositório Comum, esses investigadores passam a dispor de um local onde podem arquivar e tornar acessível a sua produção científica (artigos publicados, comunicações aceites e publicadas em conferências, teses de doutoramento e dissertações de mestrado aprovadas).

A adesão ao Repositório Comum é gratuita e é realizada pelas próprias instituições.

À semelhança do que já aconteceu com o Repositório do IPBeja e com o Repositório do Hospital de Braga, atuais SARI´s, a integração no Repositório Comum pode constituir-se como base futura de um repositório próprio.

Assim, a adesão ao Repositório Comum por parte das instituições é uma forma rápida e prática de se associarem ao movimento do Acesso Aberto e ao projeto RCAAP.

Poderá ser a solução para o cumprimento da futura Portaria que irá regulamentar o Dec-Lei 115/2013 de 7 de agosto, em que prevê que as teses de doutoramento e dissertações de mestrado fiquem sujeitas ao depósito de uma cópia digital num repositório integrante da rede RCAAP.

Por outro lado, o Repositório Comum permite cumprir com os requisitos da Política de Acesso Aberto da FCT. Este documento de carácter vinculativo estabelece as regras a observar pelos investigadores no âmbito da publicação científica resultante de investigação financiada, total ou parcialmente, pela FCT. A Política determina que estas publicações devem ser depositadas na sua forma integral para permitir o acesso livre e sem custos ou restrições de conteúdo, a qualquer utilizador.

Informações mais detalhadas sobre o Repositório Comum podem ser encontradas aqui ou questionadas através do comum@rcaap.pt.

 

Como integrar Recursos no Portal RCAAP

Todos os dias sentimos necessidade de ter informação de carácter científico disponível, que nos permita pesquisar, consultar e referenciar o texto integral de artigos e outras fontes de informação científica.

Na sociedade atual, o acesso à informação e ao conhecimento é uma alavanca indispensável para o progresso do ensino e da investigação. Por isso, o acesso à informação científica necessita de estar à distância de um clique.RCAAP_logo_horizontal

É neste contexto, que o projeto RCAAP ganha particular relevância,  dado ter por missão:

– aumentar a visibilidade, acessibilidade e difusão da produção científica nacional;

– facilitar a gestão e o acesso à informação sobre a produção científica;

– integrar Portugal em iniciativas internacionais através da disponibilização de um agregador da produção académica e científica.

Assim, a integração de recursos (repositórios e/ou revistas) no portal de pesquisa obedece a alguns critérios técnicos e de gestão de metadados descritivos baseados nas diretrizes DRIVER, disponíveis no website do projeto RCAAP.

Para ambos os recursos essa integração pode ocorrer da seguinte forma:

revistas

  Revistas:

A integração é realizada através da adoção de uma plataforma própria que cumpra com os requisitos técnicos, ou através da utilização de um sistema de gestão de revistas, o Open Journal Systems (OJS). Poderão ainda realizar uma candidatura ao Serviço de Alojamento de Revistas Científicas, denominado de SARC.

Para a utilização da plataforma OJS, foi desenvolvido um tutorial para facilitar o cumprimento das regras.

 

  Repositórios:Repositórios

A integração ocorre se a instituição já possuir um repositório institucional, sendo apenas necessário ajustá-lo às diretrizes DRIVER. Não tendo repositório, qualquer instituição pública ou privada do ensino científico nacional, pode utilizar o Repositório Comum para arquivar e tornar acessível a própria produção científica num ambiente partilhado com outras instituições. Qualquer repositório poderá ainda candidatar-se ao Serviço de Alojamento de Repositórios Institucionais, denominado de SARI.

Para ambos os serviços de alojamento, SARC e SARI, abrem periodicamente candidaturas, estando previstas novas chamadas para o início do próximo ano, sendo sempre divulgadas no Website, no Facebook  e Blog do Projeto RCAAP.

A disponibilização da produção científica em acesso aberto tem um impacto indiscutível no acesso à produção científica. No caso do Portal RCAAP, além dos conhecidos motores de pesquisa como o Google, é usual ser um dos principais fornecedores de visitas aos recursos, quer sejam repositórios ou revistas.

 

Repositório Comum do RCAAP destaca-se no Ranking Web of Repositories

Segundo o Ranking Web of Repositories na divulgação semestral de janeiro, o Repositório Comum encontra-se na 67ª posição a nível mundial na categoria de portais.

Rank-Web.fw

Uma posição invejável dado ser um serviço derivado do SARI destinado aos investigadores afiliados em instituições do sistema científico nacional (designadamente, centros de investigação públicos ou privados, universidades, institutos politécnicos) que não possuam repositório institucional próprio. Através do Repositório Comum, esses investigadores passam a dispor de um local onde podem arquivar e tornar acessível a sua produção científica (artigos publicados, comunicações aceites e publicadas em conferências, teses e dissertações aprovadas).

A adesão ao Repositório Comum é efetuada pela instituição. Após a adesão, a instituição é responsável por gerir a secção do Repositório Comum a ela atribuída regulando a admissão dos autores e os depósitos.logo_rc

A presença de instituições no Repositório Comum pode constituir-se como base futura de um repositório próprio. À semelhança dos restantes repositórios, o Repositório Comum é indexado pelo portal RCAAP.

Presentemente já possui 3909 registos e 30 instituições. Prevê-se que a curto prazo o número de registos, assim como o número de Instituições aderentes entrem numa fase ascendente com a obrigatoriedade de depósito de uma cópia digital num repositório integrante da rede do Repositório Científico de Acesso Aberto em Portugal , tal como previsto no Decreto-lei nº 115/2013.

Está disponível uma descrição mais detalhada das condições de funcionamento do Repositório Comum.

Repositório Comum do RCAAP cresce

O Repositório Comum é um serviço destinado aos investigadores afiliados em instituições do sistema científico nacional (designadamente, centros de investigação públicos ou  privados, universidades, institutos politécnicos) que não possuam repositório institucional próprio. Através do Repositório Comum, esses investigadores passam a dispor de um local onde podem arquivar e tornar acessível a sua produção científica (artigos publicados, comunicações aceites e publicadas em conferências, teses e dissertações aprovadas).

Lançado em 2009 o Repositório Comum registou um franco crescimento. Presentemente conta com cerca de 1800 documentos provenientes das seguintes instituições:

  • Campo Arqueológico de Mértola
  • Casa de Camilo
  • Escola Superior de Educação João de Deus
  • Escola Superior de Enfermagem do Porto
  • Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril
  • Instituto da Defesa Nacional
  • Instituto de Estudos Superiores Militares
  • Instituto Politécnico de Beja
  • Instituto Politécnico de Portalegre
  • FCCN
  • Linguateca
  • LNEC – Laboratório Nacional de Engenharia Civil
  • Hospital de Braga

A presença de instituições no Repositório Comum é uma forma rápida e expedita de fazer parte do movimento de acesso aberto e do RCAAP podendo servir de base a um repositório próprio. Presentemente, a presença no comum é considerada no processo de análise e seleção de candidaturas ao SARI. À semelhança dos restantes repositórios, o Repositório Comum é indexado pelo portal RCAAP.

Mais informações sobre o Repositório Comum podem ser encontradas aqui.

Repositório Comum

Repositório Comum

Repositório Comum

O RCAAP disponibilizou mais um serviço à comunidade científica nacional: o Repositório Comum, que está acessível em http://comum.rcaap.pt/.

O Repositório Comum  é  um serviço destinado a todos os investigadores que estejam associados a instituições do sistema científico nacional (designadamente, centros de investigação públicos ou privados, universidades, institutos politécnicos) que não possuam repositório institucional próprio. Através do Repositório Comum, esses investigadores passam a dispor de um local onde podem arquivar e tornar acessível a sua produção científica (artigos publicados, comunicações aceites e publicadas em conferências, teses e dissertações aprovadas).

O Repositório Comum proporcionará uma visibilidade acrescida, e potencialmente maior impacto, às publicações dos autores que o utilizarem, uma vez que estará integrado no Portal RCAAP e  através dele na B-On.  A utilização do Repositório Comum é gratuita, e não implica qualquer limitação à utilização das publicações pelos autores, uma vez que apenas é exigida uma licença não-exclusiva para arquivar e dar acesso aos documentos depositados.

O Repositório Comum vem assim completar o portefólio de serviços disponibilizados pelo RCAAP juntando-se assim ao serviço de agregação no portal RCAAP e ao Serviço de Alojamento de Repositório Institucional.

Por tudo isto, aguardamos com expectativa a utilização deste repositório pelos investigadores portugueses. Agora nenhum investigador do sistema científico nacional poderá dizer que não tem um repositório onde depositar a sua produção científica: no Repositório Comum há um lugar para o seu saber!