Dia Mundial do Teatro e o Portal RCAAP

No dia que mundialmente é dedicado ao Teatro, criado pela UNESCO em 1961, o portal RCAAP alia-se às dezenas de atividades que decorrem um pouco por todo o país.

A data tem como objetivo promover o teatro enquanto arte junto da população. Trata-se de uma arte milenar que expressa a diversidade cultural dos povos desde a antiguidade.

No dia em que a imprensa dá amplo destaque à efeméride, o Portal RCAAP sugere a consulta e partilha de alguns, entre outros, temas:

AtoresComedianteTeatroFigurantePalcoCenário

RLEC: primeiro recurso de 2017 a integrar o portal RCAAP

Fundada em 2013 e editada até 2016 numa parceria entre a Universidade do Minho e a Universidade de Aveiro, a Revista Lusófona de Estudos Culturais (RLEC) é hoje um projeto editorial do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS), da Universidade do Minho. Financiada pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, disponibiliza as suas publicações no RepositóriUM da UMinho.

Tem como objetivo servir os países de língua oficial portuguesa, assim como as suas diásporas, proporcionando-lhes condições científicas que lhes permitam configurar os atuais desafios das culturas, das artes e das línguas.

A RLEC é uma revista académica on-line, de acesso livre, dirigida tanto a académicos consagrados, como a investigadores principiantes, nacionais e estrangeiros. Aceita artigos nas áreas das ciências humanas e sociais e das artes plásticas e performativas, nas línguas portuguesa e inglesa.

Lembrete: 8ª CONFOA – chamada de trabalhos

Recordamos que a chamada de trabalhos para a 8ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto termina, precisamente, daqui a um mês: 09 de abril.

Os temas a serem tratados no âmbito da Conferência são os seguintes:

  • Acesso Aberto e Dados Científicos Abertos: marcos legais, políticas e práticas
    • Repositórios digitais – institucionais, temáticos, de dados de pesquisa ou de património cultural
    • Revistas científicas de acesso aberto e tendências na comunicação e divulgação científica
    • Publicação institucional em acesso aberto
    • Direito autoral e propriedade industrial
    • Análise e avaliação de políticas públicas, institucionais e de fomento
    • Modelos e padrões de metadados
    • Preservação Digital
  • Ciência Aberta e outras expressões de conhecimento aberto
    • Ética, Integridade da Pesquisa e RRI (Investigação e Inovação Responsáveis)
    • Modelos tradicionais e alternativos de avaliação da Ciência (bibliometria e métricas alternativas)
    • Ciência cidadã
    • Dados governamentais abertos
    • Outras práticas de conhecimento aberto (hardware e software livre, educação aberta)
  • Sistemas de gestão de informação de Ciência e Tecnologia (CRIS)
    • Interoperabilidade entre sistemas de informação de apoio à atividade científica e acadêmica
    • Softwares livres para a construção de CRIS

Acolheremos propostas sobre estes temas, bem como outros relacionados com os aspectos políticos, legais, sociais, organizativos ou técnicos do acesso aberto e da ciência aberta.

O processo de apresentação e modelos das propostas estão disponíveis para consulta e download no website da CONFOA em: http://confoa.rcaap.pt/2017/chamada/

O website da conferência aguarda pelos vossos trabalhos: http://confoa.rcaap.pt/2017/submissoes-on-line/

Portal RCAAP celebra Dia Internacional da Mulher

mulherNo Dia Internacional da Mulher, 8 de março, consulte e partilhe o que o portal RCAAP agrega sobre a temática.

Há exatamente 160 anos, o movimento feminino de operárias de Nova Iorque libertou as amarras que cingia a Mulher à imagem convencional a que o mundo estava habituado. Não tivesse sido esta grande reivindicação e as condições das mulheres não teriam sofrido alterações durante muitos anos.

O dia 8 de março de 1857 deveria ser uma referência mundial, desígnio de igualdade entre homens e mulheres. No entanto, não o é…

Para a maioria das mulheres é um dia alegre. Porém, não devemos esquecer o propósito da celebração. É impreterível refletir sobre a conjuntura feminina no mundo, sem nunca esquecer a similitude de direitos entre os géneros.

Não deixe de simbolizar este dia!

O Carnaval e o Projeto RCAAP

carnaval3Também conhecido como Entrudo, o Carnaval é uma festa pagã que se comemora em Portugal, sempre a uma terça-feira, 47 dias antes do domingo de Páscoa.

Terá começado a ser festejado pelos gregos de 600 a 520 a.C. como forma de agradecimento aos deuses pelas colheitas do ano.

Atualmente o Carnaval apresenta-se como um período de várias tradições, com particular destaque para as fantasias e disfarces. Época de diversão e brincadeiras, as quais “no Carnaval ninguém leva a mal”.

Nesta quadra repleta de tradições de norte a sul do país, não deixe de consultar e partilhar o que o portal RCAAP agrega sobre a temática. Sugerimos alguns exemplos:

8ª ConfOA: chamada de trabalhos

confoa2017_2A 8ª Conferência-Luso Brasileira de Acesso Aberto (ConfOA) retorna em 2017 ao Rio de Janeiro onde, em 2011, a ConfOA se realizou pela primeira vez no Brasil. Este ano, a instituição que irá acolher a 8ª ConfOA é a Fundação Oswaldo Cruz, uma referência não apenas na pesquisa e no ensino na área da saúde, mas também no acesso aberto no Brasil. A 8º Conferência-Luso Brasileira de Acesso Aberto realiza-se nos dias 4 e 5 de outubro (com workshops pós-conferência previstos para 6 de outubro), no campus de Manguinhos da Fiocruz.

O tema da 8ª ConfOA é “Do Acesso Aberto à Ciência Aberta”, querendo sublinhar o alargamento do âmbito da Conferência, dado que o Acesso Aberto é uma componente, e uma condição indispensável da Ciência Aberta, que abrange outras dimensões. A ConfOA pretende reunir as comunidades portuguesa, brasileira, bem como dos restantes países lusófonos, que desenvolvem atividades de investigação, desenvolvimento, gestão de serviços e definição de políticas relacionadas com o Acesso Aberto ao conhecimento e com todas as outras vertentes da Ciência Aberta. A ConfOA assume-se como o espaço privilegiado para, com o objetivo de promover a partilha, discussão e divulgação de conhecimentos, práticas e investigação sobre estas temáticas, em todas as suas dimensões e perspetivas.

Assim, convidamos a comunidade a apresentar propostas de trabalhos sobre os seguintes temas:

  • Acesso Aberto e Dados Científicos Abertos: marcos legais, políticas e práticas
  • Repositórios digitais – institucionais, temáticos, de dados de pesquisa ou de património cultural
  • Revistas científicas de acesso aberto e tendências na comunicação e divulgação científica
  • Publicação institucional em acesso aberto
  • Direito autoral e propriedade industrial
  • Análise e avaliação de políticas públicas, institucionais e de fomento
  • Modelos e padrões de metadados
  • Preservação Digital
  • Ciência Aberta e outras expressões de conhecimento aberto
  • Ética, Integridade da Pesquisa e RRI (Investigação e Inovação Responsáveis)
  • Modelos tradicionais e alternativos de avaliação da Ciência (bibliometria e métricas alternativas)
  • Ciência cidadã
  • Dados governamentais abertos
  • Outras práticas de conhecimento aberto (hardware e software livre, educação aberta)
  • Sistemas de gestão de informação de Ciência e Tecnologia (CRIS)
  • Interoperabilidade entre sistemas de informação de apoio à atividade científica e acadêmica
  • Softwares livres para a construção de CRIS

Acolheremos propostas sobre estes temas, bem como outros relacionados com os aspectos políticos, legais, sociais, organizativos ou técnicos do acesso aberto e da ciência aberta.

confoa2017_100

Processo de apresentação de propostas

Comunicações (Apresentação oral de 15 minutos)

As propostas para comunicação devem ter um mínimo de 2 páginas e um máximo de 4 páginas (ver e utilizar o modelo de proposta de comunicação). As propostas devem apresentar investigação ou desenvolvimento originais, privilegiando-se os trabalhos que relatem casos gerais (ou seja relativos a mais do que uma instituição ou sistema) e/ou que tenham relevância para uma audiência alargada.

As propostas com qualidade e relevância que não possam ser aceites como comunicações, poderão ser consideradas para apresentação como Pecha Kucha ou Póster.

Pecha Kuchas

Os Pecha Kucha são apresentações de 7 minutos, com não mais de 24 slides. As propostas deverão ter um mínimo de 1 página e um máximo de 2 páginas (ver e utilizar o modelo de proposta Pecha Kucha). As propostas de Pecha Kucha podem apresentar trabalhos de investigação e desenvolvimento recentes ou em conclusão, e eventualmente casos concretos e locais, mas com interesse e relevância geral.

As propostas com qualidade e relevância que não possam ser aceites como Pecha Kucha poderão ser consideradas para apresentação como Póster.

Pósters

Convidamos a apresentação de propostas de pósters, que devem ter 1 página (ver e utilizar o modelo de proposta de póster), que servem para apresentar trabalho ainda em desenvolvimento ou experiências locais. Os pósters serão exibidos em formato papel ou formato digital (serão dadas indicações e instruções para a apresentação dos pósters após a aceitação das propostas), e serão apresentados oralmente na sessão “O meu Póster num minuto”.

Continuar a ler

Próxima geração de repositórios institucionais: chamada para comentários públicos

A Confederação de Repositórios de Acesso Aberto (COAR) anuncia a publicação dos resultados iniciais do Grupo de Trabalho COAR Next Generation Repositories para comentários públicos.

coarEm abril de 2016, a COAR lançou um grupo de trabalho para identificar novas funcionalidades e tecnologias para os repositórios e desenvolver mecanismos para a sua adoção.

O objetivo é posicionar os repositórios como a base para uma infraestrutura distribuida, globalmente em rede para a comunicação académica, acrescentando serviços de valor acrescentado, transformando o sistema, tornando-o mais centrado na pesquisa, aberto e apoiante da inovação.

Subjacente a essa visão está a ideia de que uma rede distribuída de repositórios pode e deve ser uma poderosa ferramenta para promover a transformação do ecossitema, ou seja, a comunicação académica. Neste contexto, os repositórios permitirão o acesso a artigos publicados com uma ampla gama de informação, além de publicações tradicionais, tais como documentos de trabalho, imagens, entre outros.

O grupo de trabalho apresenta 12 testemunhos de utilizadores que deliniaram funcionalidades para os repositórios, os quais recomendamos, vivamente, que consultem e comentem: nextgenrepo.coar-repositories.org

Pretende-se ter um feedback generalizado da comunidade, pelo que, todos os comentários são importantes!

Os comentários ao público estão abertos de 7 de fevereiro a 3 de março de 2017.

Estudo Geral renova a sua imagem

Em alinhamento com os princípios orientadores do MCTES no sentido de promover e divulgar o conhecimento como um bem público, e que a todos deve beneficiar, o SIBUC realizou recentemente uma atualização do software de suporte ao Estudo Geral, o repositório institucional da UC, e uma renovação da sua imagem gráfica, de modo a tornar o Repositório mais apelativo, mais fácil de usar e estimular o envolvimento da  comunidade académica na sua utilização e promoção.

logo_estudogeralO Estudo Geral tem agora uma interface responsiva adaptada à identidade gráfica da Universidade de Coimbra e um processo de autodepósito simplificado, tendo sido introduzidas melhorias significativas nas funcionalidades de pesquisa e de recuperação da informação. Para esta renovação contribuíram as sugestões dos utilizadores, que permitiram que a equipa do SIBUC desenvolvesse uma atualização do repositório focada na resposta aos requisitos identificados.

Poucas semanas decorridas após a conclusão do processo de melhoramento do repositório foi possível registar não só um incremento no número de acessos, como também o aumento do número de depósitos de conteúdos digitais de natureza científica, realizados por investigadores e docentes ligados à Universidade de Coimbra.

Ranking Web of Repositories: onde estamos?

ranking-webA primeira edição de 2017 do Ranking Web of Repositories já se encontra disponível, na qual é possível verificar em qual posição se encontra cada um dos repositórios institucionais portugueses.

Trata-se de uma publicação semestral realizada desde 2008 pelo Cybermetrics Lab, um grupo de investigação pertencente ao Conselho Superior de Investigações Científicas (CSIC), organismo público dedicado à investigação em Espanha.

A edição atual foi atualizada com os dados recolhidos durante o mês de janeiro de 2017. A próxima edição será publicada no final de julho de 2017.

MCTES, em articulação com o MC, pretende criar um Diretório de Repositórios Digitais

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, em articulação com o Ministério da Cultura, está a criar um Diretório de Repositórios Digitais (DRD).

rdcO DRD (http://repositorios-conhecimento.pt) é uma infraestrutura digital criada com o propósito de identificar e constituir um referencial de acesso aos repositórios digitais de Portugal nas áreas da Ciência e da Cultura, no sentido de divulgar e estimular a utilização dos repositórios digitais, bem como promover a normalização técnica e práticas de preservação digital.

Esta iniciativa reflete a política do governo no sentido da valorização da produção científica nacional, da promoção do conhecimento e da criação de condições para a sua partilha, a preocupação no sentido do reforço da responsabilidade cultural e patrimonial, em articulação com o enunciado conducente à adoção de uma política nacional de ciência aberta (http://www.ciencia-aberta.pt/pnca), contemplando a promoção e a difusão da cultura científica e tecnológica e a cooperação internacional, nomeadamente com os países de língua oficial portuguesa.

A primeira fase deste projeto – identificação e caracterização dos repositórios digitais pertencentes a instituições de ciência e cultura – decorre até 30 de janeiro, estando disponível um formulário para recolha de dados.

Qualquer pedido de esclarecimento deverá ser enviado para repositorios-conhecimento@mctes.gov.pt

Post escrito por: Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior