Estudo prospetivo sobre a implementação do DOI em Portugal: aplicação nos serviços do Projeto RCAAP

Clip_DOI_blog.fwEm fase de discussão pública, o estudo realizado pelo Grupo de Trabalho das Bibliotecas de Ensino Superior da Associação Portuguesa de Bibliotecários Arquivistas e Documentalistas, partiu da necessidade da definição e análise, no âmbito das atividades do projeto RCAAP, do modelo de negócio para a atribuição de identificadores únicos e persistentes do sistema Digital Object Identifier (DOI) às teses, dissertações e outra literatura cinzenta, assim como a outras publicações científicas e académicas de Portugal. Esta análise norteia-se pelos desenvolvimentos legais para a disponibilização das teses e dissertações e pelas diferentes aplicações no contexto nacional da publicação científica e académica, como o Serviço de Alojamento de Revistas Científicas (SARC) e os Repositórios do Projeto.

O estudo é composto por cinco partes onde se apresenta o enquadramento ao atual modelo de funcionamento e organização do DOI e respetivo âmbito de aplicação em Portugal, e se perspetivam os modelos de governação e linhas de ação no quadro das atividades RCAAP. Na primeira parte enquadra-se o conceito, quadro normativo e organização do DOI. Na segunda e terceira parte desenvolve-se a visão geral e a análise técnica do sistema DOI e apresenta-se o modelo de aplicação e atribuição de identificadores DOI em funcionamento nas principais agências registo DOI (Datacite e CrossRef). Por último, na quarta e quinta parte deste estudo, define-se o âmbito de aplicação em Portugal e modelos de governação com base no quadro das necessidades nacionais e estabelecem-se as principais linhas de ação e implementação no quadro das atividades do RCAAP.

Os identificadores únicos e persistentes são importantes?

São essenciais para que seja possível uma adequada gestão de informação em ambientes digitais. Um registo digital robusto, persistente, pesquisável e reutilizável em sistemas de gestão de informação académica e científica, requer uma infraestrutura baseada em padrões de interoperabilidade, protocolos, vocabulários acordados e identificadores únicos e persistentes. É neste contexto que surge o identificador DOI, concebido para a interoperabilidade, normalizado através da publicação da norma internacional ISO 26324:2012 e gerido a partir da International DOI Foundation (IDF). Um identificador DOI é permanentemente atribuído a um objeto de forma a fornecer uma ligação persistente e resolúvel para um objeto em redes digitais. O sistema DOI é implementado e operacionalizado por um conjunto de agências de registo que aplicam as políticas e ferramentas comuns designadas pela International DOI Foundation.

Este estudo procura definir os meios para facilitar a generalização da atribuição de identificadores DOI no contexto nacional, destinado sobretudo às teses, dissertações e outra literatura cinzenta, bem como a outras publicações científicas, académicas e resultados de investigação.

Consulte o Estudo no website RCAAP!

estudo

Os comentários deverão ser remetidos para o helpdesk@rcaap.pt do RCAAP até ao final do mês de Fevereiro.

ConfOA 2016: chamada de trabalhos e alteração de datas

Dando continuidade ao assinalável êxito das edições anteriores, a 7ª Conferência Luso Brasileira de Acesso Aberto (ConfOA) irá realizar-se no Instituto Politécnico de Viseu nos dias 2 e 3 de novembro de 2016 (com workshops pós-conferência previstos para o dia 4 de novembro).*

Logos_CONFOA_2016

A Conferência pretende reunir as comunidades portuguesa e brasileira, que desenvolvem atividades de investigação, desenvolvimento, gestão de serviços e definição de políticas relacionadas com o acesso aberto ao conhecimento e à ciência aberta, com o objetivo de promover a partilha, discussão e divulgação de conhecimentos, práticas e investigação sobre estas temáticas, em todas as suas dimensões e perspectivas.

Os temas a serem tratados no âmbito da Conferência são os seguintes:

  • Acesso Aberto e Ciência Aberta (práticas e implicações)
  • Repositórios de publicações científicas;
  • Revistas científicas de acesso aberto;
  • Gestão de dados científicos abertos e repositórios de dados científicos;
  • Políticas e mandatos de acesso aberto;
  • Publicação institucional (editoras universitárias e outras iniciativas)
  • Interoperabilidade entre os repositórios e outros sistemas de informação de apoio à atividade científica e académica;
  • Sistemas de gestão da Ciência e Tecnologia (CRIS);
  • Preservação digital;
  • Direitos de autor;
  • Acesso aberto, bibliometria e métricas alternativas.

Convidamos todos os interessados a submeter os seus trabalhos (nas modalidades de Comunicação e Póster) a partir de agora, através do website da conferência http://confoa.rcaap.pt.

Caso tenha alguma dúvida ou questão, poderá contactar-nos através do email confoa2016@pres.ipv.pt.

Acompanhe-nos nas redes sociais:

Facebook: https://goo.gl/wQZHIR  e Twitter: https://twitter.com/confoa

*Devido à reintrodução do feriado nacional no dia 1 de novembro, as datas da 7ª ConfOA foram alteradas para 2 e 3 de novembro, e os workshops passaram de pré-conferência para pós-conferência a 4 de novembro.

RUA integra portal RCAAP

universidade logo repositorio institucionalO Repositório Científico da Universidade New Atlântica, com 706 registos, passou a integrar o portal RCAAP.

Tem como objetivo aumentar a visibilidade da produção e pesquisa de alunos e professores da Universidade Atlântica e preservar a memória intelectual da universidade.

Artigos científicos, comunicações em conferências, parte ou capítulo de livros, relatórios, entre outros, são alguns exemplos do tipo de documento depositados no RUA.

Constituído por 5 comunidades subdivididas em diversas coleções, é a Ciências da Saúde que mais  documentos, presentemente, possui depositados.

19 a 25 de outubro de 2015: Semana Internacional do Acesso Aberto

OA - Cartaz PNGInicia-se hoje a Semana Internacional do Acesso Aberto, evento global com atividades à escala local, que tem como objetivo disseminar o Acesso Livre ao Conhecimento. Este ano o foco será a implementação da política de Acesso Aberto da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

Esta iniciativa teve início em 2007 com um “dia do acesso livre” e desde 2009 que tem vindo a crescer tendo sido prolongada e transformada em “semana do Acesso Aberto”.

Como tem sido habitual, trata-se de um evento promovido pelo SPARC (Scholarly Publishing and Academic Resources Coalition) e irá decorrer de 19 a 25 de outubro. Toda a informação relacionada com a atividade internacional está disponível em www.openaccessweek.org.

A adesão do Projeto RCAAP a esta iniciativa ocorre no âmbito das suas atividades de comunicação. Tem como propósito reunir sinergias para fazer desta semana, um evento significativo a nível nacional, com impacto no meio científico e académico e, deste modo, reforçar a importância dos repositórios institucionais e, consequente, promover o Acesso Aberto em Portugal.

Recomendamos que todas as Instituições / Revistas nos façam chegar, em diferentes formatos, todas as atividades que pretendem realizar neste âmbito.

Convidamos cada um de vós a consultar o website, a reutilizar os materiais promocionais e a consultar e aplicar o kit de apoio à divulgação da OAW, ferramentas produzidas no âmbito do grupo de trabalho de divulgação do projeto RCAAP.

As iniciativas individuais ou coletivas são importantes, pelo que contamos com o vosso empenho e envio para semanaoa@rcaap.pt para que sejam divulgadas em www.acessolivre.pt.

Saibam +  em:

http://www.acessolivre.pt/semana/

https://www.facebook.com/rcaap

Inscrições abertas para a ConfOA 2015

confoa2015_600-fwA pouco mais de um mês da realização da 6ª Conferência Luso-Brasileira sobre Acesso Aberto, recordamos que as inscrições, para Participantes e Orados, estão abertas até ao próximo dia 25 de setembro de 2015.

A Conferência irá realizar-se entre os dia 4 e 7 de outubro de 2015, na Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil. Tem por objetivo promover a partilha, discussão, produção e divulgação de conhecimentos, práticas e pesquisa sobre o Acesso Aberto em todas as suas dimensões e perspetivas, servindo de catalisador à disseminação de políticas, pesquisa e desenvolvimento na área.

Todas as informações relativas à 6ª ConfOA estão disponíveis aqui.

Em caso de dúvida ou questão, deverá ser usado o email confoa2015@gmail.com

Resultados da CALL2: Revistas para SARC

Concluído o prazo de candidatura ao Serviço de Alojamento de Revistas Científicas (SARC) do Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (RCAAP), os dias subsequentes foram de análise às 14 candidaturas para um total de 7 vagas disponíveis.

Para levar a cabo o processo de seleção, o Júri baseou-se nos critérios de elegibilidade e seleção previamente anunciados e teve ainda em consideração o fator Acesso Aberto, considerando, apenas, revistas sem embargo e a percentagem de artigos da revista submetidos por autores exteriores à Instituição próxima da entidade editora.

O processo de seleção procurou ainda assegurar a diversidade de áreas científicas e de entidades editoriais bem como a distribuição geográfica destas. De notar que o Júri excluiu do processo de seleção qualquer consideração sobre a qualidade científica das revistas candidatas por ausência de elementos objetivos que a permitissem avaliar.

sarc

Assim, as novas revistas científicas que irão integrar o projeto RCAAP, particularmente o SARC são:

  • Revista Nascer e Crescer do Centro Hospitalar do Porto;
  • Revista da Unidade de Investigação do Instituto Politécnico de Santarém;
  • Acta Radiológica Portuguesa da Sociedade Portuguesa de Radiologia e Medicina Nuclear;
  • Cadernos de Estudos Africanos do Centro de Estudos Internacionais do Instituto Universitário de Lisboa;
  • Revista de Arte, Ciência e Comunicação (independente);
  • Revista Anais de História de Além-Mar do Centro de História d’Aquém e d’Além Mar / Portuguese Centre for Global History – FCSH/NOVA – UAc;
  • Revista Proelium da Academia Militar.

A todas as revistas que se disponibilizaram a enviar as suas candidaturas o projeto RCAAP agradece o interesse manifestado.

Repositório do IPG já faz parte do portal RCAAP

ipguardaCom 1722 registos em Acesso Aberto o Repositório Institucional do Instituto Politécnico da Guarda passou a integrar o portal RCAAP.

Repositório local disponível desde 2008, tem como objetivo divulgar a produção de carácter científico e pedagógico da sua comunidade académica. Acolhe diversos trabalhos desde relatórios de estágio, publicações em revistas internacionais, comunicações em congressos, teses de dissertações, entre muitos outros trabalhos.

Constituído por 5 comunidades subdivididas em diversas coleções, é a Escola Superior de Tecnologia e Gestão que mais  documentos, presentemente, possui depositados.

O São João e o portal RCAAP

Festividade vivida essencialmente a Norte, nas cidades do Porto e de Braga, as festas de São João são caracterizadas pela combinação de música, petiscos, balões, ervas de cheiro, martelos de plástico e fogo-de-artifício.

manjericosOficialmente é considerada uma festa católica em que se celebra o nascimento do São João Batista, no entanto, a origem é pagã, ligada à celebração do solstício de verão. É, indiscutivelmente, uma manifestação popular que arrasta multidões para a rua, contagiando os habitantes das cidades, mas também todos os que participam pela primeira vez nesta manifestação de alegria e boa disposição.

Embora a plenitude seja a noite de 23 para 24 de junho, dias antes já se sente o frenezim nas ruas, com particular ênfase para os manjericos e as suas quadras:

Se o S. João é animação

espontaneidade e diversidade,

O Projeto RCAAP é acesso à informação

conhecimento e sustentabilidade.

Portal RCAAP antecipa comemorações do 10 de junho

Um pouco por todo o país, comemora-se amanhã o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas e, tal como tem sido hábito, o portal RCAAP alia-se também a esta  data que se reveste de grande significado, ao assinalar o passado glorioso e as potencialidades futuras do nosso País.

10 de junho_1221A origem desta celebração remonta ao início do século XX, começando a ser festejado a nível nacional com o Estado Novo. É o dia em que se memora a Língua Portuguesa, o hino nacional, a bandeira nacional, o cidadão português e se assinala a morte de Camões, cuja obra espelha a cultura e a identidade de um povo.

Este ano a cidade anfitriã para receber as comemorações oficiais do dia 10 de junho será a cidade de Lamego.