Artifactory, uma solução adotada pelo RCAAP

O Projeto RCAAP passou a usar uma ferramenta, em regime Software as a Service (SaaS) para disponibilização de binários de código aberto.

A tecnologia por detrás dos repositórios científicos RCAAP, DSpace, assenta na linguagem de programação Java. Alguns projetos e outros que planeamos desenvolver, recorrem à tecnologia Apache MavenTM para a gestão de dependências, bibliotecas de código externas que são necessárias integrar nos projetos em curso. É essencialmente por esta característica do Maven, da gestão de dependências, que urge a necessidade de uma ferramenta que possibilite o acesso livre à comunidade, de bibliotecas de código úteis que possam ser integradas nos seus projetos.

O RCAAP tem e terá bibliotecas de código que estão em código aberto e que, para facilitar o uso por terceiros e por uma questão de conveniência, é útil que estejam pré-criadas. No RCAAP quisemos transferir e centralizar as bibliotecas que temos (algumas que foram desenvolvidas e são mantidas por terceiros) de modo a que fiquem acessíveis num único repositório público de acesso livre.

A equipa técnica estudou e testou um conjunto de software: Apache Archiva; JFrog Artifactory Open Source e Sonatype Nexus OSS. e concluiu que o JFrog Artifactory for OpenSource Software era a solução que preenchia os requisitos que inicialmente foram definidos. Foi apresentada uma candidatura para o uso desta solução em modo de Software as a Service (SaaS) que foi aceite pela JFrog.

A solução está neste momento acessível publicamente e poderá ser acedida através do endereço:

https://fccn.jfrog.io/fccn

 

 

 

Post escrito por: Paulo Graça – FCCN

Anúncios

ConfOA 2017: apresentações e vídeos já disponíveis

Encontram-se já disponíveis as apresentações e os vídeos da 8ª Conferência Luso Brasileira de Acesso Aberto, evento que se realizou na Fiocruz – Fundação Oswaldo Cruz, em parceria com a FCCN, os Serviços de Documentação da Universidade do Minho e o IBICT, nos dias 4, 5 e 6 de outubro de 2017.

À semelhança do que tem vindo a acontecer, a edição deste ano superou as expectativas:

  • Apresentações:
    • 7 Comunicações
    • 36 Pechas Kuchas
    • 50 Pósteres
  • Participantes:
    • 275 participantes
    • 47 participantes no Workshop Gestão de Repositórios Integrados
    • 38 participantes np Workshop Gestão de Dados de Pesquisa: os princípios FAIR e as estratégias institucionais
  • Redes Sociais:
    • 22.207 alcance geral
    • 5604 pessoas alcançadas pelos vídeos
    • 620 visualizações na página
    • 1645 likes na página do Facebook da Conferência.
  • Trasnmissão:
    • 510 acessos, divididos por 20 estados do Brasil e 6 países.

Destaca-se também a abrangência dos temas abordados, sem descurar o histórico temático da conferência, ampliando-se o escopo do Acesso Aberto à Ciência Aberta.

A 8ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto reuniu as comunidades portuguesa e brasileira que desenvolvem atividades de investigação, desenvolvimento, gestão de serviços e definição de políticas, relacionadas com o acesso aberto ao conhecimento, através de repositórios e de revistas de acesso livre.

A próxima ConfOA terá lugar no ISCTE-IUL, em Lisboa, nos dias 2, 3 e 4 de outubro de 2018.

ISCTE-IUL acolhe ConfOA 2018

Terminado o prazo de candidatura ao acolhimento da 9ª Conferência Luso-Brasileira sobre Acesso Aberto, os dias seguintes foram de análise às 3 candidaturas recebidas:

  • ISCTE-IUL – Instituto Universitário de Lisboa
  • IPP – Instituto Politécnico de Portalegre
  • UP – Universidade do Porto

O processo de seleção teve em consideração critérios como a localização geográfica, a facilidade de acesso, os espaços disponíveis, os serviços de áudio e vídeo, o apoio local foram alguns dos fatores tidos em conta.

O processo de seleção procurou ainda assegurar a diversidade de entidades e distribuição geográfica, tendo dado prioridade a entidades e locais onde recentemente não se tenham realizado eventos desta envergadura.

Em resultado deste processo, o ISCTE-IUL – Instituto Universitário de Lisboa foi o selecionado para acolher a ConfOA 2018, nos dias 2, 3 e 4 de outubro.

A todas as Instituições que se disponibilizaram a enviar as suas candidaturas agradecemos o empenho e o interesse manifestados.

8ª ConfOA: programa final e workshops

Já se encontra disponível o programa da 8ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto que irá decorrer de 4 a 6 de outubro, na Fiocruz, Rio de Janeiro – Brasil.

Destacamos a realização de 2 workshops que se irão realizar, em paralelo, no dia 6 de outubro, entre as 9:00 – 12:00:

  • workshop 1 – Gestão de Repositórios Integrados. Formadores: José Carvalho e Raquel Truta – Universidade do Minho; Tainá Assis – IBICT 
  • workshop 2 – Gestão de Dados de Pesquisa: os princípios FAIR e as estratégias institucionais. Formadores: Barend Mons, Luiz Olavo Bonino – FAIR Data; Pedro Príncipe – Universidade do Minho. 

As inscrições, para ambos os workshops, decorrerão durante a realização da 8ª ConfOA.

15000 documentos no Repositório Comum

O Repositório Comum, serviço disponibilizado pelo Projeto RCAAP de forma totalmente gratuita, atingiu os 15000 documentos.

Este repositório destina-se aos investigadores afiliados em instituições do sistema científico nacional (designadamente, centros de investigação públicos ou privados, universidades, institutos politécnicos) que não possuam repositório institucional próprio. Através do Repositório Comum, esses investigadores passam a dispor de um local onde podem arquivar e tornar acessível a sua produção científica (artigos publicados, teses, dissertações, entre outros).

Precisamente, resultante do depósito desses documentos, só do Repositório Comum o portal RCAAP agrega mais de 15000 registos de 55 Instituições aderentes94,81% dos quais encontram-se em Acesso Aberto, sendo as dissertações de mestrado a liderar a tabela no tipo de documento com 52,02%. Já o português é o idioma em que se regista mais depósitos, com 86,91%.

Aderir ao Repositório Comum converte-se numa forma rápida e célere de integrar o Projeto RCAAP e de ter acesso a ferramentas e experiência para servir de base a um repositório próprio, para além da visibilidade e impacto que esta integração acarreta para a produção científica dos próprios autores.

Informações mais detalhadas sobre o Repositório Comum podem ser encontradas aqui ou questionadas através do comum@rcaap.pt.

Diacrítica passou a integrar o Portal RCAAP

A Diacrítica, revista científica editada pelo Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho (CEHUM) desde 1986 e subsidiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), dedica-se aos estudos literários, culturais e linguísticos.

Desde janeiro de 2017 é publicada também em formato eletrónico, com periodicidade trimestral.

Aceita para publicação artigos originais assim como recensões críticas nas áreas dos estudos linguísticos, literários e culturais, da filosofia, e das artes performativas e musicais, conforme as temáticas definidas para cada volume. Cada número mantém ainda uma secção atemática.

Aceita artigos escritos em língua portuguesa, inglesa, francesa e espanhola, respeitando os padrões ortográficos vigentes em cada língua.

A revista está registada com o ISSN 0870-8967 (formato em papel) e 2183-9174 (formato eletrónico) e está licenciada com uma Licença Creative Commons CC BY-NC.

Atualmente tem já 7 registos integrados.

Versão 2.4.8.2 do OJS já disponível no serviço SARC

No âmbito do Projeto RCAAP disponibilizou-se a versão 2.4.8.2 do Open Journal Systems (OJS), em todas as revistas científicas que integram o Serviço de Alojamento de Revistas Científicas (SARC).

O Open Journal Systems (OJS) é uma solução de código aberto para gestão e publicação de revistas científicas desenvolvido pelo Public Knowledge Project (PKP), fornecendo a infraestrutura técnica não apenas para apresentação online de artigos, mas também todo o workflow inerente (submissão, revisão e publicação).

Tem por objetivo reduzir o tempo das tarefas administrativas associadas à edição de uma revista, assim como disponibilizar qualidade à manutenção dos registos e eficiência aos processos editoriais, através de uma série de inovações que torna os processos mais transparentes e de melhor indexação.

O software tem por base a arquitetura de plugins, semelhante a outros projetos disponíveis na comunidade, como por exemplo o WordPress, que permite que outras funcionalidades (COUNTER, Feds de RSS, entre outros) sejam integrados sem que seja necessário proceder à alteração de todo o código principal.

CALL: Acolhimento da 9ª Conferência Luso Brasileira de Acesso Aberto

Período de manifestações de interesse e candidaturas

Informam-se todas as instituições do sistema científico e de ensino superior nacional que se encontra aberto o período para apresentação de candidaturas para acolhimento da 9ª Conferência Luso Brasileira de Acesso Aberto.

As conferências Luso Brasileiras de acesso aberto surgiram na sequência do Memorando de Entendimento assinado entre os Ministros da Ciência e Tecnologia de Portugal e do Brasil em outubro de 2009. A primeira foi organizada em 2010 pela Universidade do Minho e a oitava irá realizar-se-á de 4 a 6 de outubro de 2017 no Rio de Janeiro, Brasil.

Estas conferências pretendem reunir as comunidades brasileiras e portuguesas que desenvolvem actividades (pesquisa, desenvolvimento, gestão de serviços, definição de políticas, etc.) relacionadas com o acesso aberto e a ciência aberta.

As instituições que estejam interessadas em acolher a 9ª Conferência Luso Brasileira de Acesso Aberto deverão, até ao dia 3 de Julho de 2017, comunicar esse interesse enviando uma mensagem de correio electrónico para o endereço info@rcaap.pt, com os seguintes elementos:

  1.    Nome e breve caracterização da instituição;
  2.    Motivação para acolherem a conferência;
  3.    Composição da comissão organizadora local (2 a 3 elementos) que será responsável por, em articulação com a comissão organizadora permanente portuguesa e brasileira, organizar a conferência;
  4.    Caracterização dos espaços considerando que:
  5. a)    É necessário um auditório com capacidade para cerca de 300 pessoas;
  6. b)    São necessários espaço(s) junto ao local da conferência para afixação dos posters, para a realização de coffee breaks e de almoços, e para o registo dos participantes;
  7. c)    É desejável dispor de outra sala/auditório com capacidade para cerca de 100 pessoas (para o caso de ser necessário realizar sessões paralelas);
  8. d)    É desejável dispor de 1 ou 2 salas pré/pós evento, com capacidade para entre 50 e 100 pessoas, para eventuais tutoriais/oficinas conferência;
  9.   Caracterização dos serviços de áudio e vídeo indicando não apenas as principais características do equipamento disponível em cada um dos espaços como também os potenciais recursos para os operarem;
  10.   Confirmação da disponibilidade em assegurar as actividades de logística considerando que é necessário tratar dos aspectos relacionados com as inscrições e coffee-breaks de todos os participantes; o alojamento, viagens e refeições dos convidados; o merchandising (pastas/mochilas, pendurantes/crachats e eventualmente outros materiais) e ainda materiais de promoção, divulgação e sinalética bem como a relação com potenciais patrocinadores;
  11.    Custos a suportar pela FCT|FCCN. Considerando uma estimativa global dos custos totais do evento (viagens e alojamento de convidados, merchandising e materiais de promoção, coffee-breaks, refeições dos membros da comissão organizadora, científica e convidados, etc.), a existência de eventuais patrocínios e de suporte financeiro da própria instituição, quais os custos que teriam de ser suportados pela FCCN.

A FCT|FCCN assegurará a disponibilização e a gestão da plataforma de gestão da conferência.

AUP no portal RCAAP

A Revista Ata Urológica Portuguesa (AUP) passou a integrar o Portal RCAAP.

Trata-se de uma revista científica de Acesso Aberto que tem como objetivo publicar artigos nas áreas da urologia, oncologia urológica, urologia pediátrica, andologia, transplante renal e nefrologia.

Aceita artigos em português e/ou inglês. Publica contribuições consideradas oportunas, práticas e de última geração sobre pesquisa clínica e experiência em campos relevantes.

Atualmente tem já 7 registos integrados.