About Clara Parente Boavida

Atualmente membro da equipa de projetos Open Access da Universidade do Minho e dos Creative Commons Portugal

Os investigadores em Portugal e a sua relação com o Acesso Aberto à produção científica

Os Serviços de Documentação da Universidade do Minho (SDUM) estão a realizar um inquérito por questionário que pretende recolher informações sobre a perceção, opinião e prática dos investigadores em Portugal relativamente ao acesso aberto (Open Access) à literatura científica.

A iniciativa enquadra-se no âmbito dos Projetos Open Access desenvolvidos pela instituição, nomeadamente, os projetos europeus OpenAIRE, MedOANet e OpenAIREplus.

Estão convidados a participar no estudo todos os investigadores que estão, ou já estiveram, envolvidos em projetos de investigação científica financiados por programas nacionais ou europeus, respondendo ao inquérito, contribuindo assim para um melhor conhecimento da opinião e das práticas dos investigadores em Portugal e para a definição de recomendações de melhoria do atual sistema de comunicação científica nacional.

Colabore connosco e divulgue esta iniciativa pelos canais de comunicação disponíveis na sua instituição.

O inquérito por questionário estará disponível até 13 de Julho de 2012 através do endereço: http://goo.gl/6a9q2

Agradecemos desde já a sua colaboração.

——-

Projetos Open Access

Universidade do Minho – Serviços de Documentação
Campus de Gualtar, 4710 – 057 Braga – Portugal
Telefone +351 253 604 150

Fax: +351 253 604 159

http://www.sdum.uminho.pt

MedOANet Press Release (PT)

Image

10 de Abril de 2012

Versão original da Press Release publicada no CORDIS Wire.

MedOANet – políticas de Acesso Aberto coordenadas na Europa Mediterrânea

A coordenação das estratégias, políticas e estruturas nacionais e regionais de Acesso Aberto nos seis países do Mediterrâneo – Grécia, Itália, França, Espanha, Portugal e Turquia – é o principal objetivo do MedOANet (Mediterranean Open Access Network), um projeto de dois anos financiado pelo 7º Programa-Quadro da Comissão Europeia, no âmbito do programa Ciência e Sociedade.

Para esse propósito o projeto pretende fortalecer, expandir e sistematizar as atividades da rede já existente de parceiros dos países Europeus do Mediterrâneo. O consórcio MedOANet engloba nove países: Grécia, Itália, França, Espanha, Portugal, Turquia, Alemanha, Holanda e Reino Unido, estes dois últimos com uma experiência significativa em questões do Acesso Aberto.

O projeto MedOANet irá identificar estratégias, estruturas e políticas nos seis países do Mediterrâneo através da realização de questionários cujos resultados serão mapeados num sistema online, designado por ‘Mediterranean Open Access Tracker’, disponibilizado no portal do projeto recentemente lançado (www.medoanet.eu). Esta importante ferramenta será concebida como uma base de dados online, expansível e interoperável com o potencial de se tornar um observatório virtual de Acesso Aberto autossustentado dos países do Mediterrâneo, assim como dos países circundantes.
Com mais relevo, o MedOANet irá identificar e envolver de forma sistemática decisores políticos relevantes e outros parceiros interessados com capacidade de promover a mudança. Este esforço irá resultar num aumento da sensibilização para as questões chave que exigem ação a nível político, e irá promover as condições para o desenvolvimento de políticas coordenadas a nível nacional e institucional atualmente inexistentes na maioria destes países do Mediterrâneo. Serão formados Grupos de Trabalho em cada um dos seis países e serão realizados workshops nacionais que irão servir como fóruns de discussão sobre as linhas de ação de cada país de um modo coordenado. Um workshop Europeu reunirá decisores políticos dos seis países e outros especialistas europeus e contribuirá para uma coordenação regional. O MedOANet irá produzir diretrizes para a implementação de políticas de acesso aberto dirigidas aos principais decisores políticos. Estas diretrizes serão apresentadas e discutidas numa Conferência Europeia que se realizará no final do projeto.

Serão desenvolvidas ao longo do projeto redes estratégicas com outros projetos e outras iniciativas internacionais pertinentes que incidam no acesso aberto à investigação científica tendo em vista a maximização dos resultados do projeto.

Sítio Web: www.medoanet.eu

Parceiros:
• EKT/NHRF www.ekt.gr
Centro de Documentação Nacional, National Hellenic Research Foundation, Grécia
• FECYT www.fecyt.es
Fundacion Espanola para la Ciencia y la Tecnologia, Espanha
• UMinho www.uminho.pt
Universidade do Minho, Portugal
• CNRS www.cnrs.fr
Centre National de la Recherche Scientifique, França
• CASPUR www.caspur.it
Consorzio Interuniversitario per le Applicazione di Supercalcolo per Università e Ricerca, Itália
• Hacettepe Üniversitesi, www.hun.edu.tr, Turquia
• ENCES www.ences.eu
European Network for Copyright in Support of Education and Science, Alemanha
• STICHTING LIBER www.libereurope.eu, Holanda
• University of Nottingham www.nottingham.ac.uk, Reino Unido

Coordenação do Projeto:

Victoria Tsoukala, tsoukala@ekt.gr, EKT/NHRF
National Documentation Centre/National Hellenic Research Foundation
48 Vasileos Constantinou Avenue
11635 Athens
Greece
Tel: 0030 210 7273947
Fax: 0030 210 7246824
www.ekt.gr

Contacto em Portugal:

Eloy Rodrigues, eloy@sdum.uminho.pt
Universidade do Minho – Serviços de Documentação
Campus de Gualtar
4710-057 Braga
Portugal
Tel: 00351 253 604 150
Fax: 00351 253 604 159
www.sdum.uminho.pt

Manifesto do Domínio Público

O Manifesto do Domínio Público foi desenvolvido pela rede COMMUNIA durante os últimos dois anos. Foi oficialmente publicado no passado dia 25 de Janeiro de 2010. O documento integra um conjunto de princípios gerais e recomendações que protegem o Domínio Público e a sua disseminação de uma forma significativa. Apesar das recomendações poderem ser aplicadas a qualquer enquadramento de direitos de autor são de grande importância para a educação, património cultural e investigação científica. O documento está disponível em várias línguas e integra uma lista de apoiantes (indivíduos e organizações).
Convidamo-lo a ler e a assinar, faça parte desta iniciativa!
Também pode acompanhar as novidades pelo Facebook e comemorar o Dia do Domínio Público, no primeiro dia de cada ano.

Palestra: Acesso Livre à Informação Científica. Que desafios para os direitos de autor?

No âmbito do Repositório da Universidade Nova – RUN – realiza-se a palestra intitulada

Acesso Livre à Informação Científica. Que desafios para os direitos de autor?”.

Irá decorrer no dia 11 de Fevereiro de 2010, às 14 horas, no Auditório B da Reitoria da Universidade Nova de Lisboa, Campus de Campolide.

Através deste link pode consultar o programa, a informação sobre os oradores convidados e o folheto de divulgação.

A sessão tem como objectivos:
1. Divulgar o projecto Creative Commons Portugal;
2. Alertar a comunidade científica para o uso das Licenças Creative Commons na inovação científica;
3. Esclarecer a forma de licenciamento dos conteúdos arquivados e disponibilizados através dos Repositórios Institucionais;
4. Esclarecer dúvidas sobre os direitos de autor de documentos arquivados e disponibilizados através dos Repositórios Institucionais.

As inscrições são feitas através do email: repositorio@fct.unl.pt. A entrada é livre.
Para mais informações contactar através do email repositorio@fct.unl.pt ou do telefone: 21 294 96 77

Contamos com a sua presença!

A equipa do RUN

Comissão Europeia agenda digitalização de livros

A Comissão Europeia adoptou uma comunicação relativa aos direitos de autor na economia do conhecimento, destinada a dar resposta aos importantes desafios culturais e jurídicos associados à digitalização em massa e difusão de livros, em especial das colecções de bibliotecas europeias. A comunicação foi elaborada em conjunto pelos Comissários Charlie McCreevy e Viviane Reding.

As bibliotecas digitais, nomeadamente a Europeana, irão oferecer aos investigadores e consumidores de toda a Europa novas formas de acesso ao conhecimento. Para tal, a UE necessita de encontrar uma solução para as obras órfãs, que, muitas vezes, não podem ser digitalizadas devido à sua situação incerta em termos de direitos de autor. Outro elemento fundamental da comunicação é a melhoria da distribuição e da disponibilidade das obras para as pessoas com deficiência, em especial as pessoas com deficiência visual.

As recentes audições para informação levadas a cabo pela Comissão sobre o acordo Google Books evidenciaram a situação anómala que resultaria da aprovação do acordo, nomeadamente a eventualidade de a enorme quantidade de obras europeias existentes nas bibliotecas dos EUA digitalizadas pela Google ficar disponível para consumidores e investigadores nos EUA, mas não na própria Europa. Assim, é necessário garantir, de imediato, que os europeus tenham acesso ao seu próprio património cultural e, por outro lado, que os autores europeus sejam justamente remunerados, o que exigirá respostas a nível europeu, como sublinharam conjuntamente os Comissários Reding e McCreevy.

Semana do Acesso Livre, 19-23 de Outubro, 2009

oaweek_header

Comemora-se a primeira semana internacional do Acesso Livre entre os dias 19 e 23 de Outubro de 2009. Este evento surge na sequência do dia do Acesso Livre, que decorreu no ano passado,  no qual participaram 120 universidades de 27 países.

Este evento oferece a oportunidade de divulgar iniciativas e projectos, no âmbito do movimento do Acesso Livre, relacionados com a produção intelectual das instituições de ensino superior, com as publicações e periódicos em acesso livre, com a disponibilização de recursos educativos abertos, com o software livre e com o domínio público.

Uma das ferramentas que irá promover o Acesso Livre durante esta semana é o OASIS (Open Access Scholarly Information Sourcebook). Este site de referência disponibiliza um vídeo sobre a sessão de 25 de Junho de 2009, com cerca de 10 minutos, onde sugere formas de usar OASIS como um recurso para bibliotecas.

O sítio dedicado à semana do Acesso Livre reúne todas as informações acerca deste evento, permite o registo de participantes e o download de recursos como: vídeos, documentos informativos, podcasts, apresentações, cartazes e materiais para websites.

Um pouco por todo o mundo estão a ser organizadas iniciativas que pretendem dar um significado a este movimento e um contributo para o sucesso desta semana servindo de sugestão para a participação do nosso país. Alguns exemplos:

Europa

Africa

Asia

Australia e Nova Zelândia

América do Norte

América do Sul

Com os recursos disponibilizados e os exemplos sugeridos estão reunidos os ingredientes necessários para  a comemoração da semana do Acesso Livre em Portugal.

Boas iniciativas!

6th Communia Workshop: Memory Institutions and Public Domain

Communia

Nos dias 1 e 2 de Outubro de 2009 decorreu, em Barcelona, o sexto workshop Communia sobre o tema “Memory Institutions and Public Domain“.  Communia é uma rede europeia que pretende ser um ponto de referência para a análise e discussão de estratégias políticas relativas ao domínio público em ambiente digital, assim como, destacar  formas alternativas de licenciamento do material criativo, debater tópicos relacionados com o acesso livre às publicações científicas, com os resultados da investigação e com a gestão de obras cujos autores são desconhecidos, as designadas obras órfãs. O objectivo do projecto será o desenvolvimento do manifesto do domínio público, com recomendações políticas para algumas áreas, a ser divulgado em 2010.

Na manhã do dia 1 de Outubro foram sugeridos temas que serão apresentados na Conferência Communia 2010, que irá decorrer em Torino, entre os quais: o papel das universidades no espaço virtual; o acesso livre a ferramentas e aplicações de trabalho; a  disponibilização livre dos recursos educativos e a disponibilização livre da produção científica. Discutiu-se o papel das  universidades nestes ambientes digitais e nas comunidades em que participam e o papel dos estudantes, nativos digitais.  Questionou-se sobre a influência da segmentação das universidades em escolas e da relação entre universidades.

Nessa tarde foram criadas sessões de trabalho em grupo onde foram debatidas questões sobre a investigação científica e educação; a tecnologia; as bibliotecas e arquivos; a análise económica e novos paradigmas de negócios. A ferramenta de trabalho utilizada foi o wiki, que está aberto ao público e que permite a participação dos interessados.

O dia 2 de Outubro foi preenchido com apresentações relacionadas com a preservação digital do património de instituições e de grandes arquivos europeus: estratégias e políticas de direitos de autor. Os resumos, algumas apresentações e as recomendações políticas de cada participante podem ser consultados.