Cadernos BAD disponibiliza atas da 9ª ConfOA

Foi publicado o número dos Cadernos BAD (nº1, 2018) o qual disponibiliza quase todos as comunicações e pechas kuchas apresentados na 9ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto (ConfOA) realizada nos dias 2, 3 e 4 de outubro de 2018, no ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa, em jeito de encerramento dos trabalhos relativos à ConfOA 2018.

Como descrito no editorial deste número, os trabalhos que aqui se publicam “abrangendo um largo espectro temático, que vai desde a gestão de dados científicos, até à publicação de revistas científicas ou as políticas de Acesso Aberto, passando pelas questões dos direitos de autor, da bibliometria, da interoperabilidade e dos sistemas de gestão de informação científica“.

Encontramo-nos em Manaus – Amazonas no Brasil, de 1 a 4 de outubro, para a ConfOA 2019.

Novo Portal RCAAP disponibiliza novas funcionalidades

O Portal RCAAP é a componente central do Projeto RCAAP (Repositórios Científicos de Acesso Aberto) e tem como objetivo a recolha, agregação e indexação dos conteúdos científicos existentes nos repositórios institucionais e nas revistas científicas das entidades nacionais de ensino superior e outras organizações de I&D.

Ao longo do tempo de vida do Projeto verificou-se cada vez mais a necessidade de obter mais informação estruturada dos recursos agregados. Esta carência de informação era evidente para o desenvolvimento de serviços ao nível do Portal RCAAP, desde a integração com as teses e dissertações até aos relatórios do financiamento da FCT. Neste sentido, o projeto tinha como ambição disponibilizar para a comunidade científica uma nova geração de serviços integrados no ecossistema científico nacional, usando o quadro normativo do projeto PT-CRIS e que pudesse estar alinhado com os interesses dos diversos intervenientes (investigadores, gestores de ciência, instituições, financiadores, governo), mas também alinhado com as práticas e diretrizes internacionais no que diz respeito, por exemplo, à nova geração de repositórios promovida pela Confederação de Repositórios de Acesso Aberto (COAR).

Por outro lado, havia a necessidade de desenvolver novas funcionalidades para todos os interveninetes no sentido de reutilizar a informação de vários serviços integrados, nomeadamente:

  • Gestão do processo de agregação totalmente reformulado

Um dos componentes essenciais do novo Portal é o processo de agregação que permite que vários esquemas de metadados sejam integrados (oai-dc; xoai; oai_openaire). Por outro lado, após a sua agregação, os metadados são uniformizados para o modelo de dados local do serviço e após esse processo, seguem um workflow definido e configurável para cada tipo de recurso (revista, repositório) que apresentamos de seguida:

                            a) transformação

Este processo de transformação dos metadados permite efetuar correções de elementos de metadados e identificar estruturas conhecidas, como ligações de licenças Creative Commons que são integradas num campo próprio internamente. Permite ainda transformar valores conhecidos das diretrizes DRIVER ou OpenAIRE para os COAR access types e COAR document types definidos no âmbito das diretrizes OpenAIRE 4.0

                            b) enriquecimento

O processo de enriquecimento é composto por vários módulos já existentes e aos quais podem ser adicionados outros. Para já existe a extração do texto integral dos trabalhos para melhorar o processo de pesquisa, e no futuro está prevista a extração dos identificadores de autores e a confirmação se possuem um Ciência Vitae.

                            c) validação

A validação da qualidade dos metadados tem sido uma aposta importante no projeto e neste processo está também considerada. Esta validação permite identificar quais os trabalhos que não cumprem com determinadas regras definidas no âmbito das condições de agregação do Portal.

Após este processo de validação, os trabalhos sem erros são integrados no Portal RCAAP para efeitos de pesquisa e disponibilizados nos diferentes interfaces OAI-PMH e API.

A API do Portal RCAAP é pública e permite acesso às publicações do Portal. O output da interface é JSON, sendo possível solicitar os pedidos em XML ou JSONP. Sendo uma API REST, é agnóstica face à linguagem de programação a usar na integração e obedece à especificação OpenAPI (OAS). Neste contexto, foi mantida a versão 1 anterior e está a ser desenvolvida uma versão 2 com informação mais rica e pormenorizada.

Ao nível do interface OAI-PMH, este foi totalmente recriado usando a mesma aplicação usada no DSpace, o XOAI. Esta aplicação teve origem no plugin desenvolvido no âmbito do projeto RCAAP para um interface OAI-PMH estendido (oai extended addon). Além de disponibilizar os mesmos conjuntos de informação, tem um novo conjunto que permite a exposição do link para o texto integral dos registos nos repositórios.

A página de cada recurso integrado no Portal foi também alterada, possuindo agora indicadores do número de documentos agregados e a sua tipologia de acesso associada ao longo do tempo. Inclui ainda uma lista de projetos identificados em cada recurso.

O Portal RCAAP lançará esporadicamente novas funcionalidades baseadas nesta reestruturação de fundo do processo de agregação e gestão de metadados!

10º aniversário do Projeto RCAAP: briefing, apresentações e vídeos

O Projeto RCAAP – Repositórios Científicos de Acesso Aberto de Portugal celebrou 10 anos de existência no passado dia 17 de dezembro, no auditório da Reitoria da Universidade de Coimbra.

O evento, realizado em parceria entre a FCT/FCCN, a Universidade do Minho e a Universidade de Coimbra teve como objetivo reunir a Comunidade para partilhar e refletir sobre o passado, presente e futuro do projeto RCAAP.

Durante a manhã contou com a participação da Inspiring Keynote Natalia Manola – OpenAIRE Project Manager com uma apresentação subordinada ao tema “Open Science: building technical and social bridges in the era of the European Open Science Cloud”

A parte da tarde foi dedicada às Estórias com História do RCAAP, contadas pela Comunidade, e à Visão dos Utilizadores do Projeto, com a participação de Carlos Fiolhais (Universidade de Coimbra), João Nuno Ferreira (FCT/FCCN), Isabel Ferreira (Instituto Politécnico de Bragança), Pedro Morgado (Universidade do Minho) e Fernanda Olival (Universidade de Évora).

Seguiu-se uma sessão enquadrativa dedicada a quatro pontos fulcrais para o Projeto:

  1. ecossistema de publicação científica para a Ciência Aberta;
  2. inovação, abertura e sustentabilidade na comunicação científica;
  3. inovações (gestão de entidades; esquemas de metadados; processos de agregação, entre outros;
  4. materialização no RCAAP (monitorização da produção científica; obtenção de indicadores; desenvolvimento de novos serviços, entre outros)

O evento terminou com a entrega de quatro prémios de reconhecimento pelo trabalho desenvolvido pelas Instituições de Ensino Superior nos diferentes subsistemas que integram o Projeto.

Em jeito de homenagem a um líder que dedicou grande parte da sua carreira profissional à disseminação do Acesso Aberto, foi entregue um quinto prémio, denominado de “Líder espiritual do Acesso Aberto” a Eloy Rodrigues, diretor dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho desde 2002.

+ informações em:

Veja ou reveja o vídeo alusivo aos 10 Anos de História do RCAAP contada pelos seus Protagonistas, disponível no canal Youtube do Projeto.

Projeto RCAAP atribui prémios de reconhecimento no seu 10º aniversário

No âmbito das comemorações do 10º Aniversário do Projeto RCAAP foram atribuídos quatro prémios de reconhecimento pelo trabalho desenvolvido pelas Instituições de Ensino Superior, nos diferentes subsistemas:

Prémio 1 – Mr. / Miss Certinho/a 

Premeia as instituições com maior taxa de cumprimento do Depósito Legal

  • Foi considerado um fator de dimensão (+ de 300 registos no RENATES);
  • Critério de desempate pelo maior número de registos no RENATES.

Foi atribuído um prémio por subsistema de ensino de acordo com o seguinte cálculo:

Origem dos dados – base de dados RENATES;
Data de extração dos dados – 09/11/2018;
Cálculo com base nos seguintes indicadores:
A – Nº total de registos no RENATES por instituição (T&D);
B – Nº total de de registos no RENATES validados com HANDLE no RCAAP.
Taxa de cumprimento = B / A

Os vencedores foram:

Prémio 2 – Mr./Miss Repositório 

Premeia a instituição com melhor imagem de Repositório

  • Votação pela comunidade a partir de printscreens da home page dos repositórios realizada a 17 de outubro;
  • Votação entre 22 de outubro e 19 de novembro;
  • 1 voto por responsável de repositório;
  • Não foi permitido votar no próprio repositório;
  • Venceu o repositório com maior número de votos.

Dessa votação resultaram quatro finalistas (RIA, Estudo Geral, UTAD, UBibliorum), sendo que o vencedor foi o Estudo Geral – Repositório Institucional da Universidade de Coimbra.

Prémio 3 – Eternidade 

Premeia a instituição com melhor score na auditoria final à norma ISO 16363 que analisa a confiança dos repositórios digitais, nomeadamente na capacidade de gerir e preservar o seu conteúdo a longo termo.

  • Considera os repositórios SARI envolvidos na auditoria (25) por uma entidade externa a janeiro e fevereiro 2015 que analisou as 3 áreas da norma (Gestão do Serviço, Gestão dos Objetos, Infraestrutura e Segurança).

Os Vencedores foram o Instituto Politécnico de Castelo Branco e a Universidade do Algarve.

Prémio 4 – Exportador de Ciência

Premeia as instituições com maior número de downloads a partir de origens externas

  • Os valores apurados foram obtidos a partir do módulo de estatísticas dos repositórios que disponibilizam essa informação de forma pública e dizem respeito ao período entre novembro de 2017 a outubro 2018.
  • Foi considerado um fator de dimensão com base nos seguintes valores:
    • 3.000 registos depositados para instituições de ensino superior público ou privado com repositórios próprios ou SARI;
    • 1.000 registos depositados para instituições de I&D e Hospitalares;
    • 500 registos depositados para instituições do Repositório Comum;
  • Critério de desempate pelo maior número de depósitos.

Foi atribuído um prémio por subsistema de ensino mais um prémio para a categoria Hospitais e Institutos de I&D, de acordo com o seguinte cálculo:

  • Origem dos dados – Módulo de estatísticas disponibilizado pelos Repositórios (para os que disponibilizam esta informação);
  • Data de extração dos dados – 15/11/2018;
  • Cálculo com base nos seguintes indicadores:
        • A – Nº de documentos depositados-;
          B – Nº de dw em PT;
          C – Nº de dw de origem desconhecida;
          D – Nº de dw não PT = A – B – C.

Maior Exportador de Ciência = Valor absoluto de D

Os Vencedores foram:

Em jeito de homenagem a um líder que dedicou grande parte da sua carreira profissional à disseminação do Acesso Aberto, foi entregue um quinto prémio, denominado de: Líder espiritual do Acesso Aberto 

Premeia Eloy Rodrigues, diretor dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho desde 2002. Em 2003, liderou a criação do RepositoriUM.

Desde julho de 2008 lidera a equipa da Universidade do Minho que operacionaliza, em parceria com a FCT|UCCN, o RCAAP.

Ao nível europeu, é membro do EUA Expert Group on Science 2.0/Open Science em representação do CRUP, e tem coordenado a participação da Universidade do Minho em mais de uma dezena de projetos financiados pela UE.

Em abril de 2015 foi eleito Presidente do Conselho Executivo da Confederation of Open Access Repositories (COAR) tendo sido reeleito em maio de 2018 para o mandato de 2018 a 2021.

Na última década participou em mais de meia centena de palestras, seminários e outras ações de divulgação ou formação sobre o Acesso Aberto e a Ciência Aberta na Europa , em África, na América, na Ásia (China e Japão) e na Oceânia (Austrália).

Lançamento do Manual de Formação em Ciência Aberta

Em jeito de prenda de Natal antecipada, anunciamos o lançamento do Manual de Formação em Ciência Aberta, desenvolvido no âmbito do projeto FOSTER Plus.

O Manual de Formação em Ciência Aberta, foi inicialmente escrito por 14 autores num booksprint em Hannover, em fevereiro de 2018, e posteriormente traduzido para Português por 23 tradutores e encontra-se agora disponível via Gitbook e em formato mobi.

O Manual está estruturado em 3 secções principais. A primeira, Introdução à Ciência Aberta introduz os principais temas da Ciência Aberta.  A segunda,  Sobre Aprendizagem e Formação apresenta-se uma visão geral das teorias pedagógicas e estratégias de formação  e orientação prática na elaboração de um curso. Finalmente,  a secção Exemplos e Orientação Prática, inclui exercícios práticos para incorporar em  eventos de formação.

O Manual visa apoiar todos aqueles que pretendam organizar e acolher ações de formação mais eficazes, participadas e interativas, e assim promover a adoção de práticas de investigação abertas. O Manual de Formação em Ciência Aberta é disponibilizado com a Licença CC 0 para facilitar a sua reutilização.

Tratando-se de um documento vivo, o Manual estará em atualização (nomeadamente no que diz respeito aos exercícios práticos) nos próximos meses, estando em ponderação a possibilidade de produzir uma versão portuguesa (e não apenas a tradução do original em inglês) durante o ano de 2019.

Post escrito por: Eloy Rodrigues – Universidade do Minho

Novas funcionalidades do DSpace implementadas nos SARI’s

Nos últimos dias os Repositórios Institucionais integrados no serviço SARI do Projeto RCAAP, assentes na plataforma DSpace, têm sido dotados com funcionalidades que promovem a interoperabilidade entre sistemas, permitindo a introdução de identificadores de autores ao nível dos registos, a adoção das novas guidelines do OpenAIRE e métodos adicionais de autenticação, o CiênciaID.

A introdução destas funcionalidades serão potenciadas pelo novo Portal RCAAP e traduzir-se-ão no lançamento de novos serviços como sejam, por exemplo, perfis de autores com informação agregada da sua produção científica, informação sobre projetos financiados, afiliação de autores, possibilidade de auto depósito a partir de outros sistemas, entre outras.

Depois de um período de testes e de uma fase piloto com os repositórios de três instituições (Universidade Católica Portuguesa, Instituto Politécnico de Castelo Branco e Universidade Aberta), até ao início da próxima semana as funções anteriormente identificadas entrarão em fase de produção em todos os repositórios.

Para saber mais informações sobre este processo de implementação e qual o seu impacto nos atuais procedimentos relacionados com o depósito e a gestão de utilizadores nos repositórios, consulte o webinar introdutório sobre “Novas funcionalidades do DSpace” na plataforma eLearning do Projeto RCAAP, nas disciplinas: SARI – Repositórios Institucionais ou Repositório Comum.

Mais de 20 000 registos disponíveis no Repositório Comum

Com mais de 20 000 registos disponíveis de 74 instituições aderentes o Repositório Comum continua a crescer.

Desdobrando o número, o qual resulta do depósito de documentos por parte das instituições, neste repositório 93,84% dos registos encontram-se em Acesso Aberto, sendo as dissertações de mestrado a liderar a tabela no tipo de documento com 54,58%. Em 84,91% o português é o idioma em que se regista mais depósitos.

Trata-se de um serviço gratuito disponibilizado pelo Projeto RCAAP (Repositórios Científicos de Acesso Aberto de Portugal) e destina-se aos investigadores afiliados em instituições do sistema científico nacional (designadamente, centros de investigação públicos ou privados, universidades, institutos politécnicos) que não possuam repositório institucional próprio. Através do Repositório Comum, esses investigadores passam a dispor de um local onde podem arquivar e tornar acessível a sua produção científica (artigos publicados, comunicações aceites e publicadas em conferências, teses de doutoramento e dissertações de mestrado aprovadas).

Aderir ao Repositório Comum converte-se numa forma rápida e célere de se associarem ao movimento do Acesso Aberto, integrar o Projeto RCAAP e de ter acesso a ferramentas, contextos e experiências para servir de base a um repositório próprio, para além da visibilidade e impacto que esta integração acarreta para a produção científica dos próprios autores.

Informações mais detalhadas sobre o Repositório Comum podem ser encontradas aqui ou questionadas através do email: comum@rcaap.pt.

Três novas revistas da UP integram o Portal RCAAP

Linguística, Linguarum Arena e Cultura, Espaço & Memória, são as últimas revistas da Universidade do Porto a integrar o Portal RCAAP.

Trata-se de uma revista da Faculdade de Letras e do Centro de Linguística da UP com início de atividade em 2006, com disponibilização de um volume anual, e que tem por missão disponibilizar artigos sobre qualquer tópico linguístico.

Presentemente tem 162 registos agregados no Portal.

Linguarum Arena: revista do Programa Doutoral em Didática de Línguas da Universidade do Porto lançou o primeiro volume em 2010 e tem como objetivo primordial a divulgação de trabalhos sobre a didática de línguas que prevaleçam pela qualidade e pela relevância, em termos teóricos e empíricos.

Até ao próximo dia 31 de dezembro encontra-se a decorrer o período de submissão de trabalhos originais subordinados ao tema: Para uma história das ideias didáticas da língua estrangeira e da língua materna.

Atualmente tem já 86 registos integrados.

A revista Cultura, Espaço & Memória, editada pelo Centro de Investigação Transdisciplinar, tem uma periodicidade anual e disponibiliza acesso livre aos conteúdos, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

Para esta revista o Portal RCAAP agrega 196 registos.