Cadernos BAD disponibiliza atas da 9ª ConfOA

Foi publicado o número dos Cadernos BAD (nº1, 2018) o qual disponibiliza quase todos as comunicações e pechas kuchas apresentados na 9ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto (ConfOA) realizada nos dias 2, 3 e 4 de outubro de 2018, no ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa, em jeito de encerramento dos trabalhos relativos à ConfOA 2018.

Como descrito no editorial deste número, os trabalhos que aqui se publicam “abrangendo um largo espectro temático, que vai desde a gestão de dados científicos, até à publicação de revistas científicas ou as políticas de Acesso Aberto, passando pelas questões dos direitos de autor, da bibliometria, da interoperabilidade e dos sistemas de gestão de informação científica“.

Encontramo-nos em Manaus – Amazonas no Brasil, de 1 a 4 de outubro, para a ConfOA 2019.

IPViseu acolhe ConfOA 2016

Logos_CONFOA_2016

Concluído o prazo de candidatura ao acolhimento da 7ª Conferência Luso-Brasileira sobre Acesso Aberto, os dias seguintes foram de análise às 4 candidaturas recebidas:

  • ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa
  • IPV – Instituto Politécnico de Viseu
  • UPT – Universidade Portucalense
  • IPP – Instituto Politécnico de Portalegre

O processo de seleção procurou assegurar a diversidade geográfica da realização deste evento e de outros semelhantes. Boas acessibilidades às cidades nas quais se encontram as instituições concorrentes foi outro fator tido em conta.

Assim, será o Instituto Politécnico de Viseu a acolher a ConfOA 2016.

A todas as Instituições que se disponibilizaram a enviar as suas candidaturas agradecemos o interesse manifestado.

CALL 7: Acolhimento ConfOA 2016

Termina já no próximo dia 07 de setembro de 2015 o período para apresentação de candidaturas para acolhimento da 7ª Conferência Luso Brasileira de Acesso Aberto por parte das Instituições do sistema científico e de ensino superior nacional.

7ªConfoa2016_.fwAs conferências Luso Brasileiras de Acesso Aberto surgiram na sequência do Memorando de Entendimento assinado entre os Ministros da Ciência e Tecnologia de Portugal e do Brasil em Outubro de 2009. A primeira foi organizada em 2010 pela Universidade do Minho e a sexta irá realizar-se-á de 4 a 7 de Outubro de 2015 em Salvador da Bahia, Brasil.

Estas conferências pretendem reunir as comunidades brasileiras e portuguesas que desenvolvem actividades (pesquisa, desenvolvimento, gestão de serviços, definição de políticas, etc.) relacionadas com o Acesso Aberto ao conhecimento científico.

As instituições que estejam interessadas em acolher a 7ª Conferência Luso Brasileira de Acesso Aberto deverão, até ao dia 7 de Setembro de 2015, comunicar esse interesse enviando uma mensagem de correio electrónico para o endereço info@rcaap.pt, com os seguintes elementos:

1. Nome e breve caracterização da instituição;
2. Motivação para acolherem a conferência;
3. Composição da comissão organizadora local (1 a 2 elementos) que será responsável por, em articulação com a comissão organizadora permanente portuguesa e brasileira, organizar a conferência;

4. Caracterização dos espaços considerando que:
a) É necessário um auditório com capacidade para cerca de 250 pessoas;
b) São necessários espaço(s) junto ao local da conferência para afixação dos posters, para a realização de coffee breaks e de almoços, e para o registo dos participantes;
c) É desejável dispor de outra sala/auditório com capacidade para cerca de 100 pessoas (para o caso de ser necessário realizar sessões paralelas);
d) É desejável dispor de 1 ou 2 salas pré/pós evento, com capacidade para entre 50 e 100 pessoas, para eventuais tutoriais/oficinas conferência;

5. Caracterização dos serviços de áudio e vídeo indicando não apenas as principais características do equipamento disponível em cada um dos espaços como também os potenciais recursos para os operarem;

6. Confirmação da disponibilidade em assegurar as actividades de logística considerando que é necessário tratar dos aspectos relacionados com as inscrições e coffee-breaks de todos os participantes; o alojamento, viagens e refeições dos convidados; o merchandising (pastas/mochilas, pendurantes/crachats e eventualmente outros materiais) e ainda materiais de promoção, divulgação e sinalética bem como a relação com potenciais patrocinadores;

7. Custos a suportar pela FCT|FCCN. Considerando uma estimativa global dos custos totais do evento (viagens e alojamento de convidados, merchandising e materiais de promoção, coffee-breaks, refeições dos membros da comissão organizadora, científica e convidados, etc.), a existência de eventuais patrocínios e de suporte financeiro da própria instituição, quais os custos que teriam de ser suportados pela FCCN.
A FCCN assegurará a gravação e difusão do evento bem como a disponibilização da plataforma de gestão da conferência.

Inscrições Abertas para a Confoa 2012

Já se encontram abertas as inscrições para a 3.ª Conferência Luso-Brasileira sobre Acesso Aberto, que se realiza na Reitoria da Universidade Nova de Lisboa, no Campus de Campolide, nos dias 1 e 2 de Outubro de 2012.

 

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas através da página da 3.ªCONFOA

A comissão organizadora tem o prazer de informar que, até ao momento, está confirmada a presença dos seguintes oradores:

Alma Swan – SPARC EUROPE

Acesso Aberto 10 anos após a declaração da BOAI: onde estamos e para onde vamos.

Alma Swan is a consultant working in the field of scholarly communication. She is a director of Key Perspectives Ltd and Director of European Advocacy Programmes for SPARC and Convenor for Enabling Open Scholarship, the organisation of universities promoting the principles of open scholarship in the academic community. She holds honorary academic positions in the University of Southampton School of Electronics & Computer Science and the University of Warwick Business School.

http://www.openoasis.org/index.php?option=com_content&view=article&id=599&catid=56

Cameron Neylon Public Library of Science

Impacto do acesso aberto na comunidade científica: métricas alternativas de ciência.

Cameron Neylon is a biophysicist with an interest in how to make the internet more effective as a tool for science. He writes and speaks regularly on scholarly communication, the design of web based tools for research, and the need for policy and cultural change within and around the research community.

He is Advocacy Director for the Public Library of Science, a research biophysicist and well known agitator for opening up the process of research. He speaks regularly on issues of Open Science including Open Access publication, Open Data, and Open Source as well as the wider technical and social issues of applying the opportunities the internet brings to the practice of science. He was named as a SPARC Innovator in July 2010 for work on the Panton Principles and is a proud recipient of the Blue Obelisk for contributions to open data. He writes regularly at his blog, Science in the Open.

 

Eloy Rodrigues – Universidade do Minho

Interoperabilidade.

Eloy Rodrigues é Diretor dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho, liderou, em 2003, a criação do RepositoriUM – o repositório institucional da Universidade de Minho. Desde Julho de 2008 lidera a equipa da Universidade do Minho que desenvolve o projecto Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (www.rcaap.pt). Foi membro do grupo de trabalho sobre Open Access da EUA (European Universities Association) em representação do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas, preside ao Grupo de Trabalho sobre Interoperabilidade da Confederation of Open Access Repositories (COAR) e coordena a participação da Universidade do Minho em vários projetos (NECOBELAC, OpenAIRE e OpenAIREplus, MEDOANET) financiados pelo 7º Programa Quadro da UE relacionados com os repositórios e o Open Access. 

Johanna McEntyreEMBL- European Bioinformatics Institute

Acesso Aberto aos dados científicos.

Jo McEntyre is the Team Leader for Literature Services at EMBL-European Bioinformatics Institute (EMBL-EBI). The team currently run two life science literature databases: CiteXplore (over 25 million abstracts including PubMed, Agricola and Patent information) and UK PubMed Central, a full text database of 2.2 million articles. The literature databases are linked to public biological databases via curated links and useful terms (such as gene names, diseases, and organisms) that have been text mined from articles. Before joining EMBL-EBI, Jo spent 11 years at the National Center for Biotechnology Information (NCBI), NIH in Bethesda, USA, where she was involved with several projects to make the biomedical literature available online and link it to public databases. Prior to this she was an editor for the journal Trends in Biochemical Sciences, published by Elsevier and based in Cambridge, England. Jo first trained as a biologist, and holds a PhD in plant cell biotechnology from Manchester Metropolitan University.

William Nixon – University of Glasgow

Integração de RIs nos workflows de e-ciência.

William Nixon is the Head of Digital Library Team at the University of Glasgow Library. He is also the Service Development Manager of Enlighten, the University of Glasgow’s institutional repository service (http://eprints.gla.ac.uk). He been working with repositories over the last decade and was the Project Manager (Service Development) for the JISC funded DAEDALUS Project that set up repositories at Glasgow using both EPrints and DSpace. William is now involved with the ongoing development of services for Enlighten and support for Open Access at Glasgow. Through JISC funded projects including Enrich and Enquire he has worked to embed the repository into University systems. This work includes links to the research system for funder data and the re-use of publications data in the University’s web pages. He was part of the University’s team which provided publications data for the UK’s Research Excellence Framework (REF) Bibliometrics Pilot. William is now involved in supporting the University of Glasgow’s submission to the REF2014 national research assessment exercise. Enlighten is a key component of this exercise, enabling staff to select and provide further details on their research outputs.

2ª Conferência Luso-Brasileira sobre Acesso Aberto promoveu mais e novos desenvolvimentos Open Access em Portugal e no Brasil

Decorreu nos dias 24 e 25 do passado mês de Novembro no Rio de Janeiro, a 2ª Conferência Luso-Brasileira sobre Acesso Aberto que contou com a participação de mais de 120 participantes e com a apresentação de 35 comunicações e 17 posters. O evento foi antecedido com a realização de três oficinas pré-conferência dirigidas pela equipa dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho e dedicadas a três áreas de formação no domínio dos repositórios: 1ª) Interoperabilidade, normas, diretrizes e qualidade dos repositórios (com a colaboração de Alicia Lopez Medina da COAR), 2ª) Promoção, disseminação e marketing de repositórios institucionais, 3ª) Definição, implementação e monitoramento de políticas institucionais de Acesso Aberto.

O evento iniciado com a mensagem de abertura de Pedro Veiga, Presidente da FCCN e de Maria Carmen Romcy de Carvalho, IBICT, teve o seu primeiro momento significativo com a mesa redonda dedicada ao debate das “Políticas de Acesso Aberto”, com intervenções de Angélica Miranda da Universidade Federal do Rio Grande e de Eloy Rodrigues da Universidade do Minho, mais tarde complementadas com a mensagem vídeo de Alma Swan, da EnablingOpenScholarship (EOS), enviada propositadamente para a Conferência, onde ficou bem clara e reforçada pela intervenção de vários dos participantes, a necessidade do aprofundamento das políticas de acesso aberto como componentes estratégicas das Universidades e Instituições de Investigação.

O evento contou com a apresentação de vinte comunicações aprovadas pela comissão científica, onde ficou patenteado o desenvolvimento de várias iniciativas Open Access nas instituições de Portugal e Brasil, com avaliação de resultados do trabalho levado a cabo no âmbito de repositórios institucionais e temáticos e igualmente de projetos ligados a publicações em livre acesso, e onde se perspetivaram iniciativas com vista ao futuro da informação, publicação e dados científicos em acesso aberto.

Os projetos apresentados e dinamizados pelo IBICT no Brasil e FCCN em Portugal (OASIS Br, DIADORIM, RCAAP, Blimunda, Diretório Luso-Brasileiro), bem como a mesa redonda dedicada às Redes de Acesso Aberto, com o contributo de Alicia López Medina – COAR e de Malgorzata Lisowska – Projeto CLARA, reforçam a necessidade das iniciativas conjuntas e a dinamização de atividades transnacionais no domínio da informação científica na Europa e América Latina, e a pertinência da própria Conferência Luso-Brasileira que reúne as comunidades brasileiras e portuguesas no desenvolvimento de atividades de pesquisa, gestão de serviços e definição de políticas relacionadas com o acesso aberto ao conhecimento científico.

O evento encerrado com a presença de Bianca Amaro, IBCIT e João Gomes, FCCN, teve as mensagens de Maria Carmen Romcy de Carvalho e Pedro Guedes de Oliveira e contou com o anúncio da próxima conferência para 2012 na Universidade Nova de Lisboa.

1ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto

Realizou-se nos passados dias 25 e 26 de Novembro, na Universidade do Minho, a 1.ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto, organizada conjuntamente pelos Serviços de Documentação da Universidade do Minho, pela Fundação para Computação Científica Nacional (FCCN), no âmbito do Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (RCAAP), e pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT ).

A 1.ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto reuniu cerca de 180 participantes, dos quais 25 foram provenientes do Brasil, tendo oferecido uma panorâmica actualizada e alargada da situação do acesso aberto nos dois países, quer através de um conjunto de apresentações sobre algumas das principais iniciativas que decorrem em Portugal e no Brasil, quer através das 8 comunicações e 14 posters seleccionadas pela Comissão Científica, entre as quase 40 propostas apresentadas.

Esta conferência decorreu na sequência do Memorando de Entendimento assinado entre os ministros de ciência de Portugal e do Brasil em Outubro de 2009, e dá continuidade às Conferências sobre o Acesso Livre ao Conhecimento, organizadas pela Universidade do Minho em 2005, 2006, 2008, as duas últimas já no âmbito do projecto Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (RCAAP).

A conferência serviu também para apresentar e proceder ao lançamento da integração entre os portais portugueses (RCAAP – www.rcaap.pt) e brasileiro (OASIS.br). A nova versão do portal RCAAP, apresentada na conferência, já integra os conteúdos dos repositórios brasileiros, permitindo a pesquisa conjunta de mais de 130.000 documentos científicos e académicos em acesso aberto (cerca de 50.000 de Portugal e mais de 80.000 do Brasil). A nova versão do portal OASIS.br, com integração da pesquisa nos repositórios portugueses agregados pelo portal RCAAP, foi também apresentada, mas não se encontra ainda em produção.

Foi igualmente apresentado o Directório Luso-Brasileiro de repositórios e revistas de acesso aberto, que pretende referenciar todos os repositórios e todas as revistas de acesso aberto de cada um dos países, funcionando com duas instâncias (uma no Brasil e outra em Portugal), que se sincronizam e actualizam diariamente.

Finalmente, foi anunciada a realização da 2ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto no mês de Novembro de 2011 (em data ainda a designar), na cidade do Rio de Janeiro, Brasil.