Mais de meio milhão de documentos, de recursos nacionais, no Portal RCAAP

Mais de meio milhão de documentos agregados pelo portal, no ano em que o Projeto RCAAP (Repositórios Científicos de Acesso Aberto de Portugal) comemora o seu 10º aniversário.

Este número resulta de 148 recursos nacionais, dos quais 24 são Repositórios Institucionais com gestão própria, 28 SARI’s (Serviço de Alojamento de Repositórios Institucionais), 75 Revistas Científicas com gestão própria, 20 SARC’s (Serviço de Alojamento de Revistas Científicas) 1 Repositório de Dados Científicos.

O Portal constitui-se como um ponto único de pesquisa, localização e acesso a milhares de documentos de caráter científico e académico o que faz com que a pertinência destes dados só se consiga com a envolvência de toda a Comunidade, quer sejam investigadores, docentes, dirigentes e gestores /técnicos. Estes dados justificam, certamente, o reconhecimento e visibilidade que o projeto RCAAP detém, contribuindo em larga escala para a incrementação do Acesso Aberto em Portugal e no mundo, em 10 anos de existência.

Desafiamos a Comunidade a consultarpartilhar e questionar ainda mais o projeto RCAAP. Queremos audácia!!!

Mais de 1 milhão de documentos agregados pelo portal RCAAP

No ano em que o Projeto RCAAP comemora o seu décimo aniversário, o Portal RCAAP agrega mais de 1 milhão de documentos de 129 recursos nacionais e um brasileiro.

O Portal é a componente central do Projeto Repositórios Científicos de Acesso Aberto de Portugal e tem como objetivo a recolha, agregação e indexação dos conteúdos científicos existentes nos repositórios institucionais das entidades nacionais de ensino superior e outras organizações de I&D. Desde 2010 passou a agregar os conteúdos científicos produzidos no Brasil disponibilizados a partir do agregador mantido pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT).

O Portal constitui-se como um ponto único de pesquisa, localização e acesso a milhares de documentos de caráter científico e académico o que faz com que a relevância deste número só se torna possível devido à envolvência de toda a Comunidade. Justifica, certamente, o reconhecimento e visibilidade que o projeto RCAAP detém, contribuindo em larga escala para o incremento do Acesso Aberto em Portugal e no mundo.

Lançamos o desafio para que consultempartilhem e questionem ainda mais o projeto RCAAP.

Queremos uma Comunidade audaz!

Candidaturas ao Serviço DOI

No âmbito do projeto RCAAP e do projeto PTCRIS e dando continuidade aos seus objetivos de aumentar a visibilidade, acessibilidade e difusão dos resultados da atividade académica e de investigação científica nacional e integrar Portugal num conjunto de iniciativas internacionais neste domínio, apresentamos duas candidaturas para o novo serviço DOI.

A Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) associou-se à Agência de Registo DataCite para oferecer à comunidade académica e científica este serviço de forma gratuita.

Assim, informa-se a comunidade RCAAP que se encontram abertas, de 14 de maio a 3 de junho, duas candidaturas distintas para o serviço de atribuição de DOIs: uma direcionada para instituições do sistema científico e académico nacional; e outra especificamente para revistas científicas.

O Serviço de Atribuição de Identificadores Persistentes destina-se a ser utilizado para atribuição de DOIs (Digital Object Identifier) a documentos produzidos no âmbito de investigação académica e científica.  

Candidatura para INSTITUIÇÕES (link: http://projeto.rcaap.pt/index.php/lang-pt/noticias/268-call-servico-de-atribuicao-de-identificadores-persistentes-doi-instituicoes)

Candidatura para REVISTAS CIENTÍFICAS (link: http://projeto.rcaap.pt/index.php/lang-pt/noticias/269-call-servico-de-atribuicao-de-identificadores-persistentes-doi-revistas-cientificas)

Da análise das manifestações de interesse resultará a seleção. Os resultados serão comunicados a todas as entidades que apresentem manifestações de interesse. As entidades que não sejam selecionadas nesta fase ficarão desde já numa bolsa de candidatos que, mediante confirmação, integrarão a próxima fase de manifestações de interesse.

Para qualquer informação ou esclarecimento adicional deverão contactar o projeto RCAAP através do endereço doi@rcaap.pt.

Boas práticas: Inserir TID nas Teses e Dissertações – como fazer?

Sabia que a inserção do identificador TID nas Teses e Dissertações já depositadas é um procedimento muito simples?

Recordamos que o TID é um identificador numérico composto por 9 números que identifica o registo da tese ou dissertação na DGEEC. Este identificador é criado na Plataforma RENATES e mantido pela DGEEC: https://renates.dgeec.mec.pt/ 

São abrangidos legalmente neste processo todos os trabalhos (uma tese de doutoramento, um trabalho previsto nas alíneas a) e b) do n.º 2 do artigo 31.º do Decreto -Lei n.º 74/2006, de 24 de março, na redação dada pelo Decreto -Lei n.º 115/2013, de 7 de agosto, uma dissertação de mestrado ou um trabalho de projeto ou relatório previstos na alínea b) do n.º 1 do artigo 20.º do mesmo diploma legal) que conferem o grau de mestre ou de doutor de acordo com a seguinte legislação:

No website do Projeto RCAAP é possível consultar mais informação prática sobre este tema.

No contexto dos SARI’s, como fazer?

No contexto dos Repositórios Institucionais integrados no Serviço de Alojamento de Repositórios Institucionais (SARI), todo o worflow já está configurado e disponível para receber o TID aquando do depósito ou, mais tarde, na edição dos trabalhos já depositados. Este processo aplica-se também aos repositórios que tenham incorporado os requisitos para as teses e dissertações.

No momento de depósito dos trabalhos que já tenham sido previamente registados na plataforma RENATES, basta inserir o identificador no seguinte campo:

Para os trabalhos que já tinham sido depositados mas que só agora se efetou o registo ou que só agora se tomou conhecimento do identificador TID, basta localizar o trabalho e efetuar a edição do mesmo:

1- Editar o Registo

2 – Adicionar um novo campo “dc.identifier.tid” com a indicação do TID

3 – Clicar em atualizar para guardar as alterações efetuadas. 

Após este processo, o registo do repositório possui adeaquadamente o TID e permitirá a sua divulgação nos restantes sistemas.

O Interface OAI-PMH

Tecnicamente, o próximo passo é a exibição da informação do TID no protocolo OAI-PMH do repositório. Por norma, o OAI-PMH do repositório é atualizado diariamente, pelo que um trabalho depositado ou editado num dia ficará apenas disponível nesse interface no dia seguinte.

Para consultarem o endereço OAI-PMH, na maior parte dos casos basta adicionar ao endereço do repositório o valor “/oai/request”, por exemplo, o repositório Comum: https://comum.rcaap.pt tem o OAI-PMH em: https://comum.rcaap.pt/oai/request . Podem consultar os endereços OAI-PMH dos repositório no diretório do Portal RCAAP: https://www.rcaap.pt/directory.jsp .

Após identificarem o endereço do OAI-PMH do vosso repositório, podem verificar no menu “Identifiers” os trabalhos do repositório e os metadados expostos.

Para consultar um item em particular, basta clicar no primeiro item que aparece na lista em “View Details”.

E substituir o último número no URL pelo número do trabalho que pretendem analisar. Por exemplo, neste caso substituir o 12 por 20184.
https://comum.rcaap.pt/oai/request?verb=GetRecord&metadataPrefix=oai_dc&identifier=oai:comum.rcaap.pt:10400.26/12

Passa a https://comum.rcaap.pt/oai/request?verb=GetRecord&metadataPrefix=oai_dc&identifier=oai:comum.rcaap.pt:10400.26/20184.

Neste caso, vamos ver o que é exposto no OAI-PMH para o trabalho: https://comum.rcaap.pt/handle/10400.26/20184

Na listagem dos elementos de metadados conseguimos identificar o TID do trabalho corretamente exposto:

Neste caso em particular, o TID está corretamente exposto pelo repositório. O próximo passo é o Portal RCAAP identificar e agregar essa informação.

No Portal RCAAP

O Portal RCAAP agrega diariamente todos os recursos (revistas e repositórios) integrados e no caso das teses e dissertações, identifica e guarda o TID associado a cada trabalho. Uma vez que essa informação é administrativa, não é apresentada para os utilizadores finais no interface do Portal.

Considerando os períodos de indexação do OAI-PMH do repositório, o período de agregação do Portal RCAAP e o período de consulta do RENATES ao Portal, um trabalho depositado no repositório pode demorar 3 -4 dias a ficar totalmente fechado.

No caso do Portal RCAAP, o RENATES consulta a API do Portal para obter informação de um determinado item com base no identificador TID. Se encontrar um registo com a identificação correta, o trabalho é automaticamente fechado no RENATES.

Para verificarem se o TID está no Portal podem aceder ao seguinte URL, devendo apenas substituir o valor do “identifier” no final pelo TID desejado:

https://www.rcaap.pt:443/api/v1/documents?page=1&&jsonp=rcaapCallback&&resultsPerPage=10&includeAllRepositories=true&&&&&&&&&&&&&identifier=201816962

Em alguns casos particulares, o Portal RCAAP pode não atualizar e identificar os TIDs dos trabalhos, sendo necessário agregar totalmente o repositório para que essas alterações sejam consideradas. Por norma, pode acontecer nos casos de introdução retrospetiva do TID quando o registo não é devidamente exposto com a data de atualização. Nestes casos particulares, contacte o helpdesk do RCAAP para que se proceda à agregação total.

No contexto dos Repositórios com Gestão Local, como fazer?

No contexto dos Repositórios Institucionais locais que não são abrangidos pelo Serviço de Alojamento de Repositórios Institucionais (SARI) deverão implementar os seguintes requisitos:

Estas instruções têm por base a plataforma DSpace 5.x, contudo, os requisitos base são idênticos para outras plataformas.

Boas práticas: as potencialidades da ferramenta Validador – parte 1

Sabia que com a ferramente Validador tem a possibilidade de garantir a qualidade dos metadados dos repositórios e das revistas, garantir a interoperabilidade com outros sistemas e cumprir com diretrizes nacionais e internacionais?

Hoje focamo-nos em 3 pontos:

Como fazer?

Passo 1 – Preencha os dados para efetuar uma validação de um interface OAI-PMH (Repositório ou Revista):

 

Passo 2 – Escolher se pretende validar todo o recurso ou apenas uma coleção:


E selecionar o perfil com que pretende validar a opção anterior:

 

Passo 3- Concluir a validação e aguardar na caixa de correio pela receção do relatório de validação:

 

 

Exemplo de um relatório de validação no qual se pode visualizar  e corrigir a informação resultante do pedido que se efetuou:

Próxima geração de repositórios institucionais: chamada para comentários públicos

A Confederação de Repositórios de Acesso Aberto (COAR) anuncia a publicação dos resultados iniciais do Grupo de Trabalho COAR Next Generation Repositories para comentários públicos.

coarEm abril de 2016, a COAR lançou um grupo de trabalho para identificar novas funcionalidades e tecnologias para os repositórios e desenvolver mecanismos para a sua adoção.

O objetivo é posicionar os repositórios como a base para uma infraestrutura distribuida, globalmente em rede para a comunicação académica, acrescentando serviços de valor acrescentado, transformando o sistema, tornando-o mais centrado na pesquisa, aberto e apoiante da inovação.

Subjacente a essa visão está a ideia de que uma rede distribuída de repositórios pode e deve ser uma poderosa ferramenta para promover a transformação do ecossitema, ou seja, a comunicação académica. Neste contexto, os repositórios permitirão o acesso a artigos publicados com uma ampla gama de informação, além de publicações tradicionais, tais como documentos de trabalho, imagens, entre outros.

O grupo de trabalho apresenta 12 testemunhos de utilizadores que deliniaram funcionalidades para os repositórios, os quais recomendamos, vivamente, que consultem e comentem: nextgenrepo.coar-repositories.org

Pretende-se ter um feedback generalizado da comunidade, pelo que, todos os comentários são importantes!

Os comentários ao público estão abertos de 7 de fevereiro a 3 de março de 2017.

Plumx da Plum Analytics implementado no RI do CHUC

Foi implementado no Repositório Institucional do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra o PlumX Metrics.

plumx

O PlumX Analytics, da EBSCO information Services, é um serviço que demonstra como a investigação é utilizada e comentada em diversos serviços de uso global. Se por um lado exponencia o valor dos repositórios institucionais e incentiva ao depósito, por outro permite aos autores analisar o impacto e alcance da sua produção científica num só lugar.

O Plumx monitoriza as métricas não só de artigos como de outras produções científicas e apresenta os resultados em 5 categorias: redes sociais, citações, uso, resultados e menções. Para além dessa categorização quantifica os resultados e permite ver a fonte da informação dessa ocorrência.

No contexto do Repositório Institucional foi integrado o PlumX Print Widget para a visualização da informação das métricas alternativas de cada artigo.

Consulte um exemplo aqui.

Acesso Aberto, Embargado, Restrito e Fechado: relembrar conceitos…

OpenExistem nos repositórios institucionais 4 tipos de direito de acesso aos documentos:

Acesso Aberto (Open Access) o acesso ao documento é direto e imediato não existindo qualquer obstáculo. O acesso Aberto significa a disponibilização online, sem restrições de acesso, de literatura de caráter académico e/ou científico. Abrange comunicações em conferências, relatórios, teses e dissertações, artigos, capítulos de livros, etc., permitindo a qualquer utilizador, em qualquer parte do mundo, descarregar, ler, imprimir, pesquisar, à distância de um “click”.

O Acesso Fechado (closedAccess) e o Acesso Restrito (restrictedAccess)  disponibilizam, apenas, metadados, impossibilitando o acesso ao texto integral do documento.
restritos

  • Acesso Fechado ou closedAccess – este tipo de acesso é objetivamente o oposto ao Acesso Aberto. O acesso direto e imediato ao documento não é permitido (apenas o administrador do repositório institucional terá acesso).
  • Acesso Restrito ou restrictedAccess – significa que o acesso direto e imediato só é permitido a um grupo restrito de utilizadores, sendo que o acesso direto e imediato ao conteúdo integral do documento não é permitido ao público em geral. O acesso aberto ao documento pode ser definido, por exemplo, para um grupo de utilizadores no domínio da Instituição (controlo de acesso validado por endereço IP).

embargadoO Acesso Embargado (embargoedAccess) significa que não é permitido o acesso imediato ao conteúdo integral do documento durante um determinado período de tempo (a data a partir do qual o documento será disponibilizado em Acesso Aberto deve ser mencionada nos metadados do registo).

Porém, para os registos com Acesso Embargado, Restrito ou Fechado, qualquer utilizador poderá utilizar a funcionalidade “Solicitar cópia ao autor” que possibilita solicitar diretamente ao(s) autor(es) desses recursos o envio de uma cópia por correio eletrónico, preenchendo para o efeito um formulário que é disponibilizado pelo repositório institucional na página desses registos.

Dia Internacional da Mulher e o portal RCAAP

mulherÀ semelhança dos anos anteriores, em 2016 o Portal RCAAP alia-se às comemorações do dia Internacional da Mulher e convida a consultar e a partilhar alguns exemplos, que agrega sobre esta temática:

Porém, importante será não esquecer que este dia tem por base lutas feministas, em 1910, por melhores condições de vida e de trabalho. Já em 1977 este dia foi escolhido pelas Nações Unidas para recordar as conquistas económicas, sociais e políticas das mulheres.