Seminário: 10 anos de Ciência Aberta do IPB

Decorreu no dia 20 de junho de 2016, no Instituto Politécnico de Bragança (IPB), no Auditório da Escola Superior de Tecnologia e Gestão, o Seminário: 10 Anos de Ciência Aberta do IPB (Vídeo). A sessão foi organizada no âmbito da celebração do 10º aniversário da Biblioteca Digital do IPB.

A sessão de abertura foi efetuada pelo Prof. João Sobrinho Teixeira, Presidente do Instituto Politécnico de Bragança e pela Prof. Maria Fernanda Rollo, Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

IMG_6300Como conferencistas esteve presente Eloy Rodrigues, Diretor dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho e Presidente do COAR e Vasco Vaz, Fundação para a Ciência e Tecnologia

O Presidente do IPB falou da investigação praticada no IPB e do sucesso do repositório e assinou a nova Política de Acesso Aberto de Publicações Científicas na Biblioteca Digital do IPB

IMG_6271A Prof. Maria Fernanda Rollo, Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, elogiou a Biblioteca Digital do IPB referindo a iniciativa e a competência com que o fez, referiu indicadores estatísticos do repositório. Falou da ambição de criar uma Política Nacional de Ciência Aberta, referindo que: “temos como consigna fundamental de ciência em Portugal, uma política de conhecimento para todos…”.

Já a Coordenadora dos Serviços de Documentação e Bibliotecas do IPB, Clarisse Pais, apresentou uma comunicação sobre: Biblioteca Digital do IPB: 10 anos ao serviço da informação científica. Dignificou o sucesso nacional e internacional que a Biblioteca Digital do IPB possui, salientando os mais de seis milhões de downloads e os 92% de documentos depositados em acesso aberto. A nível internacional evidenciou o estudo efetuado pelo projeto Pasteur4OA, que coloca o IPB em segundo lugar, a nível mundial, em termos da taxa de depósitos de artigos presentes na WoS entre 2011-2013, de referir que esses artigos estão em acesso aberto. A pensar numa abertura do repositório à comunidade em geral, mostrou uma coleção que se chama Repositório de Memória Regional, onde podem ser depositados documentos com interesse para a cultura regional, que sejam de domínio público, ou por quem detenha os direitos de autor.

Na Mesa Redonda, moderada pelo Prof. Orlando Rodrigues, constituída por dois investigadores do IPB (Isabel C.F.R. Ferreira e Paulo Leitão), a Diretora do Museu Abade de Baçal (Ana Maria Afonso), dois empresários (Óscar Gonçalves e José Amaral) e Clarisse Pais, foi discutida a importância da Biblioteca Digital do IPB e como poderão as empresas e instituições regionais beneficiar da produção científica disponibilizada em acesso aberto. O IPB foi confrontado com ideias interessantes para o desenvolvimento de novos serviços associados à Biblioteca Digital do IPB.IMG_6335

Tendo em conta as excelentes intervenções e a importância para toda a comunidade científica, este Seminário foi notável e contou com uma assistência de docentes, investigadores, funcionários do IPB e elementos da comunidade local.

Considerando a experiência do IPB, as políticas da Comissão Europeia, a Política de Acesso Aberto da FCT e as Diretrizes para Políticas de Acesso Aberto para instituições que realizam investigação científica, do projeto PASTEUR4OA, o IPB entendeu atualizar a política de Acesso Aberto para as publicações científicas produzidas na comunidade académica. A nova Política, foi assinada no início da sessão de abertura e pode ser consultada em: http://www.ipb.pt/go/i090

Sendo hoje a Biblioteca Digital do IPB um manifesto caso de sucesso e uma referência no contexto nacional e internacional, pretende-se agora abri-lo à Comunidade em Geral, aumentando a sua visibilidade junto das empresas e equacionando novas formas mais facilitadoras do acesso e disponibilização da informação contida no repositório.

Parabéns à Biblioteca Digital do IPB 🙂

Post escrito por: Clarisse Pais – Instituto Politécnico de Bragança

Anúncios

“Jogo do Acesso Aberto” da Fundação Oswaldo Cruz

newsgame_acesso_abertoAlinhado à Política de Acesso Aberto da Fiocruz, o Icict/Fiocruz inovou e criou um produto para atingir o público em geral e incentivar o debate sobre Acesso Aberto: o newsgame “Jogo do Acesso Aberto”. O pré-lançamento foi realizado durante a VI Conferência Luso-Brasileira sobre Acesso Aberto, que decorreu em Salvador (Bahia), de 4 a 7 de outubro de 2015.

Simples e direto, o Jogo do Acesso Aberto, que terá brevemente versões em espanhol e inglês, foi criado “de forma a despertar interesse também do público leigo, a fim de que possam conhecer mais sobre esta questão tão importante, mas que para grande parte da população não é muito palpável”, explica Marcelo de Vasconcellos.

A ideia do jogo virtual que enfocasse o Acesso Aberto surgiu a partir do artigo intitulado “O caso do Ébola na Libéria” (Don’t Think Open Access Is Important? It Might Have Prevented Much Of The Ebola Outbreak), publicado no site TechDirt em abril deste ano. “O Acesso Aberto é importante, principalmente na Saúde, onde literalmente contribui para salvar vidas. O artigo ilustra a questão”, explica Marcelo de Vasconcellos.

De 25 a 27 do próximo mês de novembro, durante o Encontro Internacional de Acesso Aberto, no Brasil, – Biblioteca de Manguinhos – Fiocruz, o “Jogo do Acesso Aberto” será apresentado para a comunidade científica internacional e nacional.

Para mais informações e acesso ao “Jogo do Acesso Aberto”, clique em:

http://www.icict.fiocruz.br/content/icict-inova-mais-uma-vez-e-cria-newsgame-sobre-acesso-aberto

 

Projeto FOSTER com Website renovado

FOSTER – Facilitate Open Science Training for European Research, é um projeto que tem como objetivo apoiar diferentes intervenientes envolvidos no processo de comunicação científica. Oportunamente divulgado a toda a comunidade, apresenta-se agora com o novo Portal onde podem consultar desde já a agenda de eventos suportados pelo projeto relacionadas com open science, open data, open access entre outros. Além do portal, possui ainda uma novo website com  mais conteúdos, disponível em:FOSTER_header

http://www.fosteropenscience.eu/.

Teve início em fevereiro de 2014 e irá terminar em janeiro de 2016 e propõe-se promover o acesso aberto no contexto do Espaço Europeu da Investigação (EEI), assim como a analogia com as políticas de acesso aberto e com as regras de participação no Horizonte 2020 – Programa-Quadro Comunitário de Inestigação & Inovação que se destina a apoiar a investigação.

Este projeto pretende criar um programa de formação sobre acesso aberto e dados abertos direcionada a diferentes comunidades e países integrantes do EEI.

O projeto é coordenado pela Universidade do Minho e o consórcio é constituído por mais 12 parceiros.

CALL para integrar conteúdos no Website do projeto FOSTER

No âmbito do projeto FOSTER – Facilitate Open Science Training for European Researchque é uma iniciativa que pretende apoiar diferentes intervenientes envolvidos no processo de comunicação científica, informamos toda a Comunidade que se encontra aberta uma CALL para submissão de conteúdos ao nível do Acesso Aberto, Dados Científicos e Ciência Aberta, em qualquer idioma, no website do projeto (http://www.fosteropenscience.eu/).

fosterEsta chamada tem como finalidade a identificação e o mapeamento de conteúdos relevantes passíveis de serem referenciados no Portal de Conteúdos e utilizados em contexto de formação do FOSTER cujo objetivo será o de formar investigadores, gestores de projetos e outros beneficiários para o cumprimento das orientações do H2020.

Procura-se obter essencialmente variedade tanto ao nível temático como ao nível de formatos (textos individuais, slides, vídeos entre outros).

Consulte o texto da call no website do projeto em http://www.fosteropenscience.eu/content-for-open-science/ e o  formulário disponível em http://goo.gl/meV0EK.

Nova Política no Repositório Científico do Instituto Politécnico de Castelo Branco

Foi republicada uma nova política de depósito de documentos do Repositório Científico do Instituto Politécnico de Castelo Branco.

O decreto-lei n.º 115/2013 de 7 de agosto procede à terceira alteração ao Decreto-Lei n.º 74/2006, que aprova o regime jurídico dos graus e diplomas do ensino superior. Este decreto, no seu artigo 50.º, veio provocar algumas mudanças no tratamento a dar às teses de doutoramento, a outros trabalhos equivalentes e às dissertações de mestrado, pelas instituições de ensino superior. No caso das teses de mestrado, deixou de ser obrigatório o envio dos respetivos exemplares para o Depósito Legal e para a Direção Geral de Estatísticas da Educação e Ciência. Em contrapartida, passou a ser obrigatório o depósito de uma cópia digital destes trabalhos, num repositório integrante da rede do Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (RCAAP), operado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, I.P.

RIPCB

No sentido de adequar a Política de Depósito de Documentos do Repositório Científico do Instituto Politécnico de Castelo Branco (RCIPCB) à nova realidade legislativa e de promover a sua aplicação integral no Instituto Politécnico de Castelo Branco, efetuaram-se as necessárias alterações ao n.º 3 do seu Artigo 2.º, tendo a nova redação sido aprovada, e promulgada a respetiva republicação pelo Presidente do IPCB, Professor Carlos Maia, através do despacho n.º 115/2013 de 8 de novembro.

A Política de Depósito de Documentos do RCIPCB pode ser consultada em http://rcaap.ipcb.pt/PDD_%20RCIPCB_V2.pdf

Maria Eduarda Pereira Rodrigues

Contributo do RCAAP à Política de Acesso Aberto da FCT

No seguimento da audição pública sobre a política de acesso aberto da Fundação para a Ciência e Tecnologia, a comunidade do projeto RCAAP decidiu dar o seu contributo no sentido de melhorar os propósitos e objetivos da política.

Dada a importância desta política para o acesso à investigação nacional e consequente disseminação, a comunidade regozija-se pela iniciativa pois partilha os mesmos objetivos do projeto RCAAP.

fct

Deste modo, a comunidade RCAAP apoia as orientações gerais enunciadas mas apresentam-se várias sugestões de melhoria, com destaque para a proposta que o ponto 3.2 passe a ser o ponto principal (3.1) da política, tornando o depósito num repositório como o requisito básico e, com isso, aproveitando a infraestrutura já existente em Portugal, alinhando com o que tem sido a norma das políticas da maioria dos financiadores, e alterando o foco da política que, na atual versão, poderia ser entendido como sendo o Gold OA.

No que respeita à partilha de dados científicos, apoiam-se as orientações de encorajamento e o seu carácter voluntário.

Finalmente, a comunidade RCAAP reafirma ainda a sua disponibilidade para apoiar a FCT na implementação e monitorização da política de acesso aberto a definir.

Podem consultar o texto completo do contributo do Projeto RCAAP enviado à FCT.

Os interessados poderão enviar as suas sugestões à FCT até às 12h00 do dia 19 de julho.

Consulta Pública sobre Política de Acesso Aberto da FCT

Termina já no próximo dia 19 de Julho a fase de consulta pública sobre a proposta de política de acesso aberto às publicações científicas apresentada recentemente pela FCT. Em consulta pública encontra-se também uma proposta de política sobre a disponibilização de dados e outros resultados de projetos de I&D, financiados pela FCT.

Mais informação em http://www.fct.pt/dsi/eciencia/index.phtml.pt e http://newsletter.fct.pt/politica-da-fct-sobre-acesso-aberto-a-publicacoes/.

fct

Up and Away: Open Access in Portugal

Foi publicado na revista EDUCAUSE Review Online um artigo, da autoria de Claude Potts, bibliotecário da Universidade da Califórnia, Berkeley, sobre o movimento de acesso em Portugal. Nos destaques da versão original pode ler-se “Portugal stands out among nations that have embraced open access to scholarly communication because of its early adoption of institutional policies, creation of anetwork of repositories, and effective system of governance. And, nonprofit international publishing initiatives play an important role in opening up entire runs of Portuguese academic journals.”

educause

O artigo completo pode ser encontrado em: http://www.educause.edu/ero/article/and-away-open-access-portugal.

IPCB distingue docente no âmbito do Repositório Científico

No âmbito das comemorações do 32º aniversário do Instituto Politécnico de Castelo Branco, que tiveram lugar no passado dia 31 de outubro de 2012, procedeu-se à entrega do prémio Repositório Científico do IPCB. O prémio, que foi entregue pela primeira vez, tem como objetivo distinguir o docente que mais contribuiu, no ano letivo anterior, para o crescimento do Repositório Científico, através do número de obras depositadas. Este ano a distinção foi entregue ao Professor Doutor Ernesto Candeias Martins, docente da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco.

Hospital Prof. Doutor Fernando Fonseca Apresentou a sua Política de Autoarquivo

No âmbito da semana internacional do Acesso Aberto, o Centro de Documentação e Informação do Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca, EPE, realizou uma sessão de divulgação sobre a sua política de autoarquivo, recentemente aprovada.

Com esta política, todas as produções científicas produzidas pelos profissionais da instituição devem ser obrigatoriamente referenciadas no seu repositório institucional: http://repositorio.hff.min-saude.pt/