Pesquisar

Blog RCAAP

Repositórios Científicos de Acesso Aberto de Portugal

Resultados da pesquisa

"teses"

Depósito de Teses e Dissertações: taxa global de cumprimento

Em março de 2018 a taxa global de cumprimento do depósito de teses e dissertações nos repositórios institucionais agregados pelo Portal RCAAP atingiu os 83,45%, tendo por base dados disponibilizados pela Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC). Baseado nos dados disponibilizados em outubro de 2016, em que o cumprimento global era de 37,76%, verifica-se um aumento relativo de 121%.

Se analisarmos os mesmos dados disponibilizados em março último por subsistema, verifica-se que a percentagem de cumprimento no Ensino Superior Privado – Politécnico é de 69,16%, no Ensino Superior Privado – Universitário é de 74,88%, no Ensino Superior Público – Militar e Policial Universitário é de 75,58%, no Ensino Superior Público – Politécnico é de 82,56% e no Ensino Superior Público – Universitário é de 80,58%.

Estes dados de 2018 são, de facto, de modo geral bastante animadores, comparando com dados anteriores:

Porém, se a análise for detalhada, verifica-se que algumas Instituições Universitárias e Politécnicos (Públicas e Privadas) e Universidades Militares continuam com taxas de incumprimento elevadas.

Recorda-se que o procedimento de inserção do identificador TID nas teses e dissertações já depositadas é bastante simples e poderá ser consultado aqui.

Para consultar ou relembrar informação relativa ao depósito de teses e dissertações, aceda a: https://blog.rcaap.pt/?s=teses&submit=Pesquisar

Boas práticas: Inserir TID nas Teses e Dissertações – como fazer?

Sabia que a inserção do identificador TID nas Teses e Dissertações já depositadas é um procedimento muito simples?

Recordamos que o TID é um identificador numérico composto por 9 números que identifica o registo da tese ou dissertação na DGEEC. Este identificador é criado na Plataforma RENATES e mantido pela DGEEC: https://renates.dgeec.mec.pt/ 

São abrangidos legalmente neste processo todos os trabalhos (uma tese de doutoramento, um trabalho previsto nas alíneas a) e b) do n.º 2 do artigo 31.º do Decreto -Lei n.º 74/2006, de 24 de março, na redação dada pelo Decreto -Lei n.º 115/2013, de 7 de agosto, uma dissertação de mestrado ou um trabalho de projeto ou relatório previstos na alínea b) do n.º 1 do artigo 20.º do mesmo diploma legal) que conferem o grau de mestre ou de doutor de acordo com a seguinte legislação:

No website do Projeto RCAAP é possível consultar mais informação prática sobre este tema.

No contexto dos SARI’s, como fazer?

No contexto dos Repositórios Institucionais integrados no Serviço de Alojamento de Repositórios Institucionais (SARI), todo o worflow já está configurado e disponível para receber o TID aquando do depósito ou, mais tarde, na edição dos trabalhos já depositados. Este processo aplica-se também aos repositórios que tenham incorporado os requisitos para as teses e dissertações.

No momento de depósito dos trabalhos que já tenham sido previamente registados na plataforma RENATES, basta inserir o identificador no seguinte campo:

Para os trabalhos que já tinham sido depositados mas que só agora se efetou o registo ou que só agora se tomou conhecimento do identificador TID, basta localizar o trabalho e efetuar a edição do mesmo:

1- Editar o Registo

2 – Adicionar um novo campo “dc.identifier.tid” com a indicação do TID

3 – Clicar em atualizar para guardar as alterações efetuadas. 

Após este processo, o registo do repositório possui adeaquadamente o TID e permitirá a sua divulgação nos restantes sistemas.

O Interface OAI-PMH

Tecnicamente, o próximo passo é a exibição da informação do TID no protocolo OAI-PMH do repositório. Por norma, o OAI-PMH do repositório é atualizado diariamente, pelo que um trabalho depositado ou editado num dia ficará apenas disponível nesse interface no dia seguinte.

Para consultarem o endereço OAI-PMH, na maior parte dos casos basta adicionar ao endereço do repositório o valor “/oai/request”, por exemplo, o repositório Comum: https://comum.rcaap.pt tem o OAI-PMH em: https://comum.rcaap.pt/oai/request . Podem consultar os endereços OAI-PMH dos repositório no diretório do Portal RCAAP: https://www.rcaap.pt/directory.jsp .

Após identificarem o endereço do OAI-PMH do vosso repositório, podem verificar no menu “Identifiers” os trabalhos do repositório e os metadados expostos.

Para consultar um item em particular, basta clicar no primeiro item que aparece na lista em “View Details”.

E substituir o último número no URL pelo número do trabalho que pretendem analisar. Por exemplo, neste caso substituir o 12 por 20184.
https://comum.rcaap.pt/oai/request?verb=GetRecord&metadataPrefix=oai_dc&identifier=oai:comum.rcaap.pt:10400.26/12

Passa a https://comum.rcaap.pt/oai/request?verb=GetRecord&metadataPrefix=oai_dc&identifier=oai:comum.rcaap.pt:10400.26/20184.

Neste caso, vamos ver o que é exposto no OAI-PMH para o trabalho: https://comum.rcaap.pt/handle/10400.26/20184

Na listagem dos elementos de metadados conseguimos identificar o TID do trabalho corretamente exposto:

Neste caso em particular, o TID está corretamente exposto pelo repositório. O próximo passo é o Portal RCAAP identificar e agregar essa informação.

No Portal RCAAP

O Portal RCAAP agrega diariamente todos os recursos (revistas e repositórios) integrados e no caso das teses e dissertações, identifica e guarda o TID associado a cada trabalho. Uma vez que essa informação é administrativa, não é apresentada para os utilizadores finais no interface do Portal.

Considerando os períodos de indexação do OAI-PMH do repositório, o período de agregação do Portal RCAAP e o período de consulta do RENATES ao Portal, um trabalho depositado no repositório pode demorar 3 -4 dias a ficar totalmente fechado.

No caso do Portal RCAAP, o RENATES consulta a API do Portal para obter informação de um determinado item com base no identificador TID. Se encontrar um registo com a identificação correta, o trabalho é automaticamente fechado no RENATES.

Para verificarem se o TID está no Portal podem aceder ao seguinte URL, devendo apenas substituir o valor do “identifier” no final pelo TID desejado:

https://www.rcaap.pt:443/api/v1/documents?page=1&&jsonp=rcaapCallback&&resultsPerPage=10&includeAllRepositories=true&&&&&&&&&&&&&identifier=201816962

Em alguns casos particulares, o Portal RCAAP pode não atualizar e identificar os TIDs dos trabalhos, sendo necessário agregar totalmente o repositório para que essas alterações sejam consideradas. Por norma, pode acontecer nos casos de introdução retrospetiva do TID quando o registo não é devidamente exposto com a data de atualização. Nestes casos particulares, contacte o helpdesk do RCAAP para que se proceda à agregação total.

No contexto dos Repositórios com Gestão Local, como fazer?

No contexto dos Repositórios Institucionais locais que não são abrangidos pelo Serviço de Alojamento de Repositórios Institucionais (SARI) deverão implementar os seguintes requisitos:

Estas instruções têm por base a plataforma DSpace 5.x, contudo, os requisitos base são idênticos para outras plataformas.

Depósito de Teses e Dissertações: relembrar prazos

TESESRecordamos as disposições transitórias dos artigos 4º e 5º da portaria 285/2015 de 15 de setembro, em que estabelece a datas de 31 de julho e de 31 de dezembro como prazos limite para o depósito de todas as teses de doutoramento e dissertações de mestrado.

Relembramos que o projeto RCAAP em parceria com a DGEEC e a DGES promoveu um webinar no qual se pretendeu informar e esclarecer toda a comunidade académica sobre os processos de registo e depósito das teses e dissertações. Os conteúdos desse webinar estão disponíveis para consulta aqui: gravação e slides.

Para a Comunidade que ainda está em fase de implementação dos requisitos técnicos nos repositórios institucionais para dar cumprimento ao depósito legal das teses e dissertações, relembramos que o projeto RCAAP disponibilizou um tutorial que pode ser consultado aqui.

Gravação e slides do Webinar do Projeto RCAAP: Teses e Dissertações

No passado dia 19 de maio o projeto RCAAP em parceria com a DGEEC e a DGES promoveu um webinar que teve como objetivo geral informar e esclarecer toda a comunidade académica sobre os processos de registo e depósito das teses e dissertações.

webinar

Os conteúdos deste webinar, destinado a todos os Utilizadores que tenham como responsabilidade dar cumprimento ao depósito legal de teses e dissertações, estão já disponíveis para consulta num curso eLearning do Projeto RCAAP: gravação e slides.

Webinar projeto RCAAP: Teses e Dissertações

logo_Webinar

Decorrente da publicação da portaria 285/2015 de 15 de setembro, que estabelece nas suas disposições transitórias as datas de 31 de julho e de 31 de dezembro como prazos limite para o depósito de todas as teses de doutoramento e dissertações de mestrado, o projeto RCAAP em parceria com a DGEEC e a DGES irá promover um webinar no próximo dia 19 de maio, às 10:30, no qual se pretende informar e esclarecer toda a comunidade académica sobre os processos de registo e depósito das teses e dissertações.

Programa:

  • Aspetos relacionados com a legislação – 15 minutos – Priscila Couto da DGES;
  • Utilização da plataforma RENATES para registo das T&D – 15 minutos – Carlos Malaca da DGEEC;
  • O processo de depósito de T&D no RCAAP – 15 minutos – José Carvalho da Universidade do Minho;
  • Perguntas e Respostas – 15 minutos.

Inscrições: 

Teses e Dissertações: requisitos técnicos para os Repositórios Institucionais locais

Dando continuidade aos trabalhos desenvolvidos pelo Projeto RCAAP relativos à disseminação, gestão e preservação a longo prazo das Teses de Doutoramento e Dissertações de Mestrado, disponibiliza-se, publicamente, a definição dos requisitos técnicos necessários para os Repositórios Institucionais locais que não são abrangidos pelo Serviço de Alojamento de Repositórios Institucionais – SARI.
TESES
Este tutorial destina-se a todos os utilizadores que tenham como tarefa dar cumprimento ao depósito legal de teses e dissertações, tendo como principal objetivo apoiar no cumprimento da legislação em vigor nas várias componentes técnicas, de gestão e integração.

Estão previstas 3 versões deste relatório, que serão disponibilizadas gradualmente:
– Versão 1 – Definição dos requisitos técnicos no repositório institucional [ATUAL]
– Versão 2 – Workflows na instituição
– Versão 3 – Integração com DGEEC/Renates e Portal RCAAP

Teses e Dissertações: formatos autorizados para efeitos de depósito nos RI’s agregados pelo RCAAP

A crescente disponibilização de trabalhos relativos às Teses de Doutoramento e Dissertações de Mestrado tem vindo a revelar-se nos números destas coleções nos Repositórios Institucionais.

A preocupação na gestão deste tipo de trabalhos tem tido a nível internacional e nacional um empenho cada vez maior na sua disseminação, gestão e preservação a longo prazo.

É precisamente este trabalho de agregar e difundir a informação das Teses e Dissertações que, a nível nacional, foram desenvolvidas diligências ao nível da reformulação do processo de depósito legal dos trabalhos.

O artigo 50º do Decreto-Lei n.º 115/2013 de 7 de agosto estabeleceu a obrigatoriedade de depósito de uma versão digital das teses de doutoramento, de outros trabalhos que, nos termos da lei, substituam estas no processo de obtenção do grau de doutor e das dissertações de mestrado num repositório integrante da rede RCAAP, operado pela FCT.

Por sua vez, a Portaria 285/2015 de 15 de setembro cometeu ao Conselho Diretivo da FCT a aprovação, por despacho, da lista de formatos autorizados no depósito dos registos agregados pelo portal RCAAP. Esta lista está balizada pela exigência, constante da Portaria, de que esses formatos sejam formatos “abertos, amplamente reconhecidos na comunidade, que assegurem a interoperabilidade técnica e semântica, e que garantam a acessibilidade, legibilidade e integridade do seu conteúdo a longo prazo”.

formatos

O Despacho nº14167/2015  de 01 de dezembro efetiva a definição do conjunto de requisitos técnicos do depósito, designadamente no que respeita aos formatos de ficheiros e à descrição dos trabalhos.

Teses e Dissertações: a importância e o dever do depósito

O resultado das investigações desenvolvidas no âmbito de Teses de Doutoramento e Dissertações de Mestrado amplia o conhecimento em áreas específicas e é um contributo essencial para o desenvolvimento de novos trabalhos.

Apesar de alguma desconfiança dos autores na disponibilização dos seus trabalhos em acesso aberto, o interesse nas Teses edeposito Dissertações tem vindo a revelar-se nos números crescentes destas coleções nos Repositórios institucionais. A gestão desses dados é cada vez mais importante, dando sustento aos resultados que serão discutidos nas publicações académicas e que podem servir de base para novos projetos.

Esta preocupação na gestão deste tipo de trabalhos tem tido a nível internacional e nacional um empenho cada vez maior no sentido da sua disseminação, gestão e preservação a longo prazo, considerando ainda neste caso a autenticidade promovida pela instituição gestora do repositório.

É precisamente este trabalho de agregar e difundir em todo o mundo a informação das Teses e Dissertações que os portais internacionais DART-EuropeNDLTD  ou OATD (entre outros) pretendem realizar. A nível nacional, foram desenvolvidas diligências ao nível da reformulação do processo de depósito legal dos trabalhos através da publicação do decreto-lei n.º 115/2013 de 7 de agosto e posteriormente da Portaria que o irá regulamentar, cujo objetivo é enfatizar categoricamente a importância do tratamento e preservação dos trabalhos científicos, assim como a sua disseminação em acesso aberto.

Serviço de Registos de DOIs para Instituições – 1ª Call 2019

Período de manifestação de interesse

Informam-se todas as Instituições do sistema científico e de ensino superior nacional que, de 20 de março a 30 de abril de 2019, se encontra aberta uma call para apresentação de candidaturas para a criação de contas de atribuição de identificadores persistentes (DOIs – Digital Object Identifier) a documentos científicos no Serviço de Atribuição de Identificadores Persistentes do RCAAP (Repositórios Científicos de Acesso Aberto de Portugal).
A candidatura deverá ser feita ao nível das instituições e não das respetivas unidades orgânicas.

O serviço DOI
O Serviço de Atribuição de Identificadores Persistentes (serviço DOI) destina-se a ser utilizado, gratuitamente, por qualquer das instituições do sistema científico e ensino superior para atribuição de DOIs a documentos produzidos no âmbito de investigação académica e científica. A adesão ao serviço consiste na atribuição de uma conta de acesso à plataforma da Agência de Registo DataCite, com prefixos específicos associados e uma quota anual de DOIs para atribuir aos documentos produzidos pela instituição, dentro dos padrões definidos pelo serviço, assim como formação e serviço de apoio de primeira linha (helpdesk) à sua utilização.

A gestão da atribuição dos DOIs é da responsabilidade da instituição associada à conta. A equipa RCAAP fornece apoio inicial e formação básica para configuração de sistemas de  atribuição automática ou atribuição manual de DOIs.

Candidatura
As instituições que estejam interessadas em obter o serviço DOI deverão, até ao dia 30 de abril de 2019, comunicar esse interesse preenchendo o formulário online abaixo indicado.

Critérios de elegibilidade
Da análise das manifestações de interesse resultará a seleção de instituições para passarem a integrar o Serviço de Atribuição de Identificadores Persistentes – serviço DOI.

Serão considerados os seguintes critérios de elegibilidade para as instituições:

  • A instituição tem recursos integrados no portal RCAAP;
  • Os recursos existentes no portal RCAAP cumprem com as Condições de Agregação do Portal RCAAP;
  • Os documentos a depositar são na maioria revistos por pares.

Processo de seleção

A seriação das instituições para efeitos de seleção à prestação do serviço será realizada com base nos seguintes critérios:

  • Maior percentagem de documentos sem erros no portal RCAAP;
  • Maior percentagem de documentos em acesso aberto;
  • Maior percentagem de teses registadas no RENATES (se aplicável).
  • Maior percentagem de tipologias de documentos diferentes de Teses e Dissertações (a atribuição de registos DOI a Teses e Dissertações será da responsabilidade da DGEEC no decorrer do processo de registo no RENATES).

Alguns serviços são excluídos deste processo por já usufruírem da atribuição de identificadores:

  • Revistas inseridas no Serviço de Alojamento de Revistas – SARC
  • Todas as teses e dissertações registadas no RENATES

Link para formulário de candidatura: https://goo.gl/forms/dk1BRmm41nTBV10B3 

Post escrito por: Paulo Lopes e Natacha Mesquita: FCT/FCCN

Novo Portal RCAAP disponibiliza novas funcionalidades

O Portal RCAAP é a componente central do Projeto RCAAP (Repositórios Científicos de Acesso Aberto) e tem como objetivo a recolha, agregação e indexação dos conteúdos científicos existentes nos repositórios institucionais e nas revistas científicas das entidades nacionais de ensino superior e outras organizações de I&D.

Ao longo do tempo de vida do Projeto verificou-se cada vez mais a necessidade de obter mais informação estruturada dos recursos agregados. Esta carência de informação era evidente para o desenvolvimento de serviços ao nível do Portal RCAAP, desde a integração com as teses e dissertações até aos relatórios do financiamento da FCT. Neste sentido, o projeto tinha como ambição disponibilizar para a comunidade científica uma nova geração de serviços integrados no ecossistema científico nacional, usando o quadro normativo do projeto PT-CRIS e que pudesse estar alinhado com os interesses dos diversos intervenientes (investigadores, gestores de ciência, instituições, financiadores, governo), mas também alinhado com as práticas e diretrizes internacionais no que diz respeito, por exemplo, à nova geração de repositórios promovida pela Confederação de Repositórios de Acesso Aberto (COAR).

Por outro lado, havia a necessidade de desenvolver novas funcionalidades para todos os interveninetes no sentido de reutilizar a informação de vários serviços integrados, nomeadamente:

  • Gestão do processo de agregação totalmente reformulado

Um dos componentes essenciais do novo Portal é o processo de agregação que permite que vários esquemas de metadados sejam integrados (oai-dc; xoai; oai_openaire). Por outro lado, após a sua agregação, os metadados são uniformizados para o modelo de dados local do serviço e após esse processo, seguem um workflow definido e configurável para cada tipo de recurso (revista, repositório) que apresentamos de seguida:

                            a) transformação

Este processo de transformação dos metadados permite efetuar correções de elementos de metadados e identificar estruturas conhecidas, como ligações de licenças Creative Commons que são integradas num campo próprio internamente. Permite ainda transformar valores conhecidos das diretrizes DRIVER ou OpenAIRE para os COAR access types e COAR document types definidos no âmbito das diretrizes OpenAIRE 4.0

                            b) enriquecimento

O processo de enriquecimento é composto por vários módulos já existentes e aos quais podem ser adicionados outros. Para já existe a extração do texto integral dos trabalhos para melhorar o processo de pesquisa, e no futuro está prevista a extração dos identificadores de autores e a confirmação se possuem um Ciência Vitae.

                            c) validação

A validação da qualidade dos metadados tem sido uma aposta importante no projeto e neste processo está também considerada. Esta validação permite identificar quais os trabalhos que não cumprem com determinadas regras definidas no âmbito das condições de agregação do Portal.

Após este processo de validação, os trabalhos sem erros são integrados no Portal RCAAP para efeitos de pesquisa e disponibilizados nos diferentes interfaces OAI-PMH e API.

A API do Portal RCAAP é pública e permite acesso às publicações do Portal. O output da interface é JSON, sendo possível solicitar os pedidos em XML ou JSONP. Sendo uma API REST, é agnóstica face à linguagem de programação a usar na integração e obedece à especificação OpenAPI (OAS). Neste contexto, foi mantida a versão 1 anterior e está a ser desenvolvida uma versão 2 com informação mais rica e pormenorizada.

Ao nível do interface OAI-PMH, este foi totalmente recriado usando a mesma aplicação usada no DSpace, o XOAI. Esta aplicação teve origem no plugin desenvolvido no âmbito do projeto RCAAP para um interface OAI-PMH estendido (oai extended addon). Além de disponibilizar os mesmos conjuntos de informação, tem um novo conjunto que permite a exposição do link para o texto integral dos registos nos repositórios.

A página de cada recurso integrado no Portal foi também alterada, possuindo agora indicadores do número de documentos agregados e a sua tipologia de acesso associada ao longo do tempo. Inclui ainda uma lista de projetos identificados em cada recurso.

O Portal RCAAP lançará esporadicamente novas funcionalidades baseadas nesta reestruturação de fundo do processo de agregação e gestão de metadados!

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑